sábado, janeiro 10, 2015

Nove Anos Do Blogue Macloulé


Falta um ano para que o blogue macloulé faça uma década de existência. Por aqui já passaram discussões sobre abates de árvores. Movimentos contra a exploração de petróleo no Algarve. Algumas das maiores manifestações populares que o concelho de Loulé (e o Algarve) viu nas últimas décadas. Acampadas em frente à Câmara Municipal de Loulé contra a austeridade e pela liberdade de expressão. Por aqui se mandaram emigrar governos em defesa das urgências dos louletanos, Saiu-se à rua de cuecas e fez-se greve de fome em prole da escola pública e em resposta à barbárie governativa. Ajudou-se a tirar sem abrigos das ruas. Participou-se activamente na luta contra as portagens. Fez-se solidariedade glocal contra a agressão israelita à palestina. Criticou-se políticos e políticas de todo o tipo quando se achou justificado. Agradeceu-se o lixo autárquico despejado à porta de casa. Sensibilizou-se para o problema das alterações climáticas. Fez-se sátira com a prisão de Sócrates. Cercou-se a sede do PSD em Loulé em protesto ao senhor Primeiro-Ministro Coelho contra a destruição de Portugal. Foi-se de férias à Manta Rota e à aldeia da Coelha. Ganhou-se fama de maluco num país carente de cidadania. Gente nova entrou na nossa vida e muitos inimigos de estimação. Debateram-se ideias e divulgaram-se livros. Fez-se poesia.  Fecharam-se os comentários para não haver problemas com tribunais. Passaram por aqui ameaças políticas de sermos postos às contas com a justiça. Protestou-se contra taxas injustas. Perdeu-se o formato inicial do blogue por motivos ainda hoje não totalmente conhecidos (provavelmente iliteracia informática), etc, etc, etc. Nove anos de vida bem vivida. Por enquanto resiste-se ainda à austeridade e à doutrina de choque implementada pela Troika e pelo governo de Passos Coelho. Não sabemos até quando. Há uma coisa que sabemos. Tal como disse um dos principais mentores do grande Charlie Hedbo, mais vale morrer de pé do que viver ajoelhado. Viva a vida!

Sem comentários:

Enviar um comentário