quinta-feira, janeiro 31, 2013

Afinal A Quinta Da Umbria Viola As Leis Do Ordenamento Do Território Ou Não? É Bom Que Se Responda A Isto Porque Não Queremos Mais Máfia A Gerir O Concelho De Loulé

A associação ambientalista Almargem denuncia hoje o projecto turístico da Quinta da Ombria, no concelho de Loulé, que prevê a construção de hotéis, campos de golfe, moradias e blocos de apartamentos em 144 hectares de Rede Natura 2000 e em cima do aquífero Querença-Silves. Os ambientalistas criticam um turismo “de betão” e admitem recorrer às instâncias comunitárias.

Em comunicado, a Almargem explica que o empreendimento pretende ocupar o Sítio Barrocal da Rede Natura - área de elevada biodiversidade (matagais, sobreirais e azinhais) -, mesmo ao lado do Sítio Classificado da Fonte Benémola. Estas zonas são protegidas por critérios europeus.

O empreendimento, em 144 hectares, prevê um campo de golfe, dois hotéis, doze blocos de apartamentos, 35 moradias e respectivos acessos.

“Até poderia ser um exemplo de um novo modelo turístico para o interior, mas não (...). É, antes de mais, um claro exemplo do modelo já gasto do litoral que se está a querer importar para o interior”, comenta a associação em comunicado.

O empreendimento tem implicações para os valores naturais e para os recursos hídricos subterrâneos, salienta.

Em 2004, o Governo deu luz verde ao projecto mas em 2006, a Comissão Europeia enviou um parecer fundamentado por considerar que o direito comunitário estava a ser violado. Segundo Bruxelas, o projecto “minimiza o impacto directo do empreendimento sobre três habitats protegidos (...) e ignora ainda a poluição provocada pelo campo de golfe”.

Mas, diz a Almargem, o projecto avançou e o Plano de Pormenor, aprovado recentemente pela Assembleia Municipal de Loulé, viabilizou-o. Este plano “viabiliza uma proposta de ocupação massiva para uma área caracterizada pela baixa densidade demográfica, promovendo a transformação de espaço rural em urbano, ao arrepio das actuais orientações de planeamento, e baseando-se exclusivamente no imobiliário turístico, persistindo em desrespeitar os valores paisagísticos em presença”.

Além disso, acrescenta, “com as suas 1700 camas, o projecto esgota totalmente a capacidade de acolhimento prevista no PDM de Loulé para aquela zona, inviabilizando qualquer futuro projecto turístico local, mesmo que de reduzida dimensão”.

O projecto “implica um aumento brutal da pressão humana sobre o território, duplicando, de um momento para o outro, a população residente no conjunto das duas freguesias (Querença e Tôr)”: dados dos Censos 2001: Tôr - 887 habitantes e Querença - 788 habitantes.

A Almargem lembra também que o “projecto ignora a obrigatoriedade de interdição à construção em áreas percorridas por incêndios, no caso concreto por efeito do incêndio corrido em 2004”.

A associação defende um projecto turístico para a área da Quinta da Ombria que reconstrua e modernize as casas antigas e montes abandonados, de forma sustentável.

“A Almargem continuará a envidar todos os esforços para parar este projecto (...), se necessário for recorrendo às instâncias comunitárias”.


Continuam As Práticas Fascistas No Interior Do PSD Loulé

Não se trata de nenhuma apreciação subjectiva mas de dados objectivos. Depois de horas ontem à noite a colar cartazes de divulgação da manifestação de dia 2 de Fevereiro em Portimão os cartazes foram quase todos arrancados no centro de Loulé. Esta gente não percebe mesmo que a censura política e a anulação da cidadania fazem parte do pior dos regimes fascistas.

Essencializar Por Aí

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.

Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.

Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.

A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.

Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar.”

Guerra Junqueiro, 1896.

quarta-feira, janeiro 30, 2013

Se Os Sem Abrigo Aguentam Porquê Que Nós Não Aguentamos?

"Se os sem abrigo que andam aí na rua aguentam porquê que nós não aguentamos?"

Fernando Ulrich - O banqueiro que não sabe gerir o seu banco e vive da ajuda do Estado (ou seja do dinheiro do meu salário).

Cavaco Demite O Coelho E Demite-te



Como não demitiste o Coelho nem te demites está prometido que em breve voltaremos à já célebre Aldeia da Coelha.

segunda-feira, janeiro 28, 2013

O Partido Dos Ladrões Prepara-se Para Assaltar De Novo O Poder Em Loulé



Depois de terem levado a Câmara Municipal de Loulé à bancarrota o Miguel Relvas de Loulé prepara-se de novo pela mão dos ladrões do PSD para roubar o resto dos recursos públicos.

domingo, janeiro 27, 2013

Austeridade A Ritmo Apropriado

Depois da auteridade "digna" de Cavaco Silva. Depois da austeridade "inteligente" de António José Seguro chegou a vez da austeridade "a ritmo apropriado" de Lagarde. Com tanto ignorante a comandar as nossas vidas como poderiamos não ter chegado a onde isto chegou?

sábado, janeiro 26, 2013

Tempos Perigosos

A luta de classes está ao rubro e a sociedade Portuguesa caminha a passos largos para a ruptura. No discurso de Mário Nogueira em directo na SIC Notícias apareceram adjectivações como "ladrões", "bandidos", "criminosos", "vigaristas", "canalhas" e outras designações de valor equivalente. A ruptura social é evidente. O Presidente da República como sempre vive preocupado com a sua reputação e a sua reforma e isto não vai acabar bem. Os tempos que aí vêm não são só conturbados. São tempos muito perigosos. Isto pode acabar no caos social mas pode também acabar com o regresso da ditadura.

Macário Correia - O Omnipotente

“Eu também sou arquitecto e engenheiro e conheço o território”.

quarta-feira, janeiro 23, 2013

2 de Março de 2013 - Loulé Vai Sair À Rua Em Massa A Exigir A Demissão Do Governo PSD/CDS

Car@s amig@s,

Dia 2 de Março todo o país vai sair à rua para fazer História. O objectivo é claro. Exigir a demissão de Pedro Passos Coelho e Vítor Gaspar e dizer um rotundo basta às políticas de austeridade. Loulé não podia ficar de fora do exercício deste dever de cidadania em prole do resgate das nossas vidas. Reformados, desempregados, homens, mulheres, jovens e menos jovens, trabalhadores de todo o Algarve, todos vão sair à rua para dizer de novo basta! O lema está traçado. Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. Que se lixe a Troika - O Povo é quem mais ordena!

terça-feira, janeiro 22, 2013

Resgatar O FMI, Prender Os Bandidos Da Austeridade Assassina


Só não vou porque não posso. Mas é preciso mesmo resgatar estes senhores do FMI. Resgatar no verdadeiro sentido da palavra. Com polícia e prisão como é óbvio.

Sonho ou realidade?

Sonhei um dia destes que tinha lido num jornal a barlavento que Vale de Lobo e Quinta Lago tinham sido vendidos aos angolanos. Alguém me pode fazer uma análise clínica deste sonho?

sábado, janeiro 19, 2013

Resistir à Barbárie


O Algarve não pode ficar de fora da resistência à Bárbarie instituída pela Troika e pelo governo PSD/CDS. Todos a Portimão dia 2 de Fevereiro de 2013. Tu contas. Aparece. Vem fazer a História ao vivo.

sexta-feira, janeiro 18, 2013

Novas Do Governo Fascista Do PSD/CDS



Já só se aguenta com gás pimenta. E com a cumplicidade desse pobre Presidente de seu nome Cavaco Silva.

quinta-feira, janeiro 17, 2013

Texto Enviado À Assembleia Popular De Coimbra

Caros amigos da Assembleia Popular de Coimbra,

É com muita pena que não vamos poder estar presentes em Coimbra no encontro das Assembleias Populares pois teríamos muito a aprender convosco. No dia 2 de Fevereiro vamos estar presentes numa manifestação em Portimão contra o Governo e contra a Troika em luta contra as políticas de austeridade que destroem as nossas vidas e portanto, a lutar para resgatá-las. Somos um pequeno grupo de pessoas do concelho de Loulé que tem levado a cabo várias intervenções no Algarve e não estamos constituídos de forma organizada como Assembleia Popular mas colocamos fortemente a hipótese de avançar para essa forma de participação no espaço público.

Ao longo dos últimos anos temos participado activamente na luta contra as portagens na A22 – Via do Infante, juntamente com a Comissão de Utentes da Via do Infante. Demos forma ao Movimento Algarve Livre de Petróleo. Organizámos uma Manifestação Contra o Encerramento das Urgência de Loulé que trouxe mais de um milhar de pessoas para a rua e obrigou o governo a recuar nessa intenção. Tivemos na organização da Manifestação do 15 de Setembro em Loulé que trouxe perto de cinco mil pessoas para a rua nesta cidade. Voltámos a sair à rua a 13 de Outubro na Caçarolada Global contra a austeridade e a Troika mobilizando novamente mais de um milhar de pessoas. Organizámos a recepção à Senhora Merkel e ocupámos simbolicamente o Castelo de Loulé como manifestação de resistência à colonização austeritária. Organizámos uma ida à Aldeia da Coelha à porta da casa de férias do Presidente da República para oferecer prendas de Natal a Cavaco Silva e exigir que este demita Passos Coelho e que o próprio Cavaco se demita (já lá tínhamos estado em Agosto com a CUVI assim como fomos fazer uma visita de férias à casa de férias de Passos Coelho na Manta Rota). Juntámo-nos sempre que possível às principais manifestações nacionais em Lisboa.

Temos por hábito no final das manifestações organizar Assembleias Populares que têm sido muito participadas e intensas e que têm tido o mérito de trazer a discussão política para a rua mas que depois não têm a devida sequência por falta de alguma consistência organizativa. Apesar de não podermos estar convosco dia 2 de Fevereiro em Coimbra queríamos mostrar a total solidariedade com o trabalho de todas as Assembleias Populares do país e gostaríamos de ser informados das decisões que por vós forem tomadas para podermos colaborar convosco no que estiver ao nosso alcance. Gostaríamos de deixar uma sugestão. Que fosse discutida, se assim o entenderem, a proposta das Assembleias organizarem uma acampada nacional espalhada por todas as cidades do país em frente aos órgãos máximos símbolos do poder a exigir a demissão do Governo PSD/CDS e o fim das políticas de austeridade. Gostaríamos muito de estar presentes na partilha de ideias convosco e é com muita pena que vemos a nossa ausência. Espero que compreendam que é por um bom motivo. 

Um grande abraço e votos de bom trabalho para todos

terça-feira, janeiro 15, 2013

A Gente Sabe, A Gente Sabe, Portugal Não É A Grécia

O porta-voz do Governo grego, Simos Kedíkoglu, fez uma boa leitura dos acontecimentos da madrugada de ontem em Atenas. Uma “bala simbólica”, disse, foi disparada contra o primeiro-ministro.
O porta-voz do Governo grego, Simos Kedíkoglu, fez uma boa leitura dos acontecimentos da madrugada de ontem em Atenas. Uma “bala simbólica”, disse, foi disparada contra o primeiro-ministro.
Eram duas e meia da manhã em Atenas quando uma moto com dois homens passou junto à sede da Nova Democracia, o partido que domina a coligação no Governo, dirigido por Antonis Samaras. Um dos homens disparou uma rajada de Kalashnikov contra o prédio – uma bala entrou no gabinete destinado a Samaras.

“Isto não tem precedentes. Mas não nos deixaremos amedrontar, o Governo fará o que tiver que fazer para proteger a democracia”, disse Kedíkoglu, citado pela AFP.
A vaga que começou na sexta-feira pode significar uma mudança de rumo na forma dos gregos protestarem. Entre sexta à noite e a segunda-feira de manhã, os alvos foram sobretudo ligados ao poder. Sedes de bairro do Partido Socialista (PASOK) foram vandalizadas, assim como balcões bancários. A casa de um irmão do porta-voz Simos Kedíkoglu ficou sem vidros e na madrugada de sexta-feira foram lançadas bombas artesanais contra as casas de cinco jornalistas, sendo estes atentados reivindicados por um grupo chamado Militantes da Minoria que, em informações à imprensa, explicou ter atacado jornalistas que considera “representantes oficiais do sistema”.

Na madrugada de ontem, a empresa pública de electricidade, a DEI, também foi atacada — no dia 1 de Janeiro a electricidade subiu 15% (o aumento em 2012 fora de 9,2%).
A polícia científica procurava provas que levassem à identificação dos suspeitos que dispararam contra a sede da Nova Democracia. O porta-voz do Governo avançou a uma televisão grega, citada pela BBC, que a autoria dos ataques concertados será de um grupo “anarquista de esquerda”, mas a informação não foi confirmada oficialmente; a polícia fez apenas saber que a vaga de violência está a ser investigada.

Na sexta-feira, ao apresentar mais um pacote de medidas de austeridade para este país intervencionado pela troika (Fundo Monetário Internacional, União Eurioeia e Banco Central Europeu), Samaras pediu “paciência” aos gregos e, usando uma imagem de optimismo, disse para verem “o copo meio cheio”.
Na madrugada de sábado, o Parlamento aprovou, com os votos da Nova Democracia, PASOK e Esquerda Democrática (a coligação, que junta 163 deputados em 300; o líder do Syriza, na oposição, esteve ontem em Berlim, onde o ministro das Finanças alemão lhe pediu para apoiar a austeridade; Alexis Tsipras recusou), mais um aumento de impostos, a redução dos escalões do IRS de oito para três e a tributação em 42% para rendimentos a partir de 42 mil euros por ano (o que reduz a tributação dos mais ricos; quem ganhava mais de cem mil euros pagava 45%).
Se a vaga de violência direccionada durou um fim-de-semana ou se foi o eclodir de uma nova abordagem à luta contra a austeridade e os políticos – até aqui feita de protestos de rua e confrontos entre manifestantes e polícias –, isso só se perceberá nos próximos dias. Para já, Atenas está em estado de alerta.

Mas numa entrevista ao jornal El País, o jornalista grego Kostas Vaxevanis diz que “o ambiente está a mudar”. “

“A Grécia está no limite e é impossível as coisas continuarem como estão. Não podemos ter metade da população a procurar comida no lixo e a outra metade a não pagar impostos. Sem mudanças, vamos para a guerra civil".

domingo, janeiro 13, 2013

Derrotar A Troika, O Governo PSD/CDS E O Processo Reaccionário Em Curso


Obrigado aos amigos de Lisboa e Porto por terem aceite a sugestão do pessoal do Algarve de incluir a revolta popular de Portimão contra o Governo PSD/CDS e a Troika no mapa nacional. Ignoraram-nos a 15 de Setembro de 2012 mas vão arrepender-se de o terem feito.

sábado, janeiro 12, 2013

Os Políticos Criminosos do PSD Estão A Ficar Desorientados

Ver Ângelo Correia na TVI 24 a acusar Durão Barroso de indecência política, a acusar a Troika de a sua receita ter falhado e a chorar os 100000 funcionários públicos que vão para a rua é absolutamente ridículo. Revela a absoluta desorientação política em que essa gentinha do PSD está.

quarta-feira, janeiro 09, 2013

Myriam Zaluar

O MSE apela a que toda a população demonstre o seu apoio à Myriam Zaluar, que será julgada sob acusação de desobediência qualificada, por ter estado a distribuir uns panfletos do MSE. Tratou-se e trata-se de uma expressão intimidatória do governo de Passos Coelho, cujo objectivo é evitar que os cidadãos venham para a rua exigir um lugar nesta sociedade: o direito à educação dos jovens, o direito a que os idosos não tenham de escolher entre medicamentos e alimentação, o direito a que os trabalhadores empregados tenham uma remuneração sem cortes injustos, o direito a que os desempregados tenham um trabalho digno e justamente remunerado.

Por isso, nesta 5ªfeira, 9 de Janeiro, às 11 da manhã, estaremos no Campus de Justiça (Expo), em Lisboa.

Passos, Gaspar, Troika, Rua! Portimão, 2 de Fevereiro, Aparece!


O Governo PSD/CDS, mais troikista que a troika que destrói a vida dos portugueses não passará de 2013. Eu estou lá. Aparece. O contra-ataque não se teme se toda a gente se juntar.

domingo, janeiro 06, 2013

O Lixo Em Que A Câmara Municipal De Loulé Transformou As Nossas Vidas

Loulé, 6 de Janeiro de 2013. Junto ao antigo Largo do Chafariz.


A CML cortou as horas extraordinárias aos trabalhadores autárquicos que faziam a recolha regular do lixo no concelho. Mandou os cidadãos ao Domingo guardar o lixo nauseabundo em suas casas. Atribuiu a uma empresa privada as tarefas e funções que eram desenvolvidas com a máxima eficiencia e eficácia pelos trabalhadores municipais e que agora são desempenhadas com a máxima ineficiência. Os cidadãos do concelho de Loulé continuam a pagar as suas contribuições à autarquia e esta devolve-lhes o pagamento com o lixo nauseabundo às suas portas. Mas ninguém dos partidos políticos da oposição confronta o senhor doutor Seruca Emídio com este nauseabundo problema político?

sábado, janeiro 05, 2013

Chantagem, Ameaça e Ataque À Democracia Pelo Governo PSD/CDS

O filme já é bem conhecido na Grécia e já era previsto que cá chegasse. Um secretário de Estado do Governo PSD/CDS e da Troika veio dizer às televisões que se o tribunal constitucional decretar as mais que expectáveis inconstitucionalidades do orçamento de Estado já vão faltar de imediato mil e duzentos milhões de euros ao erário público e portanto chegámos à bancarrota. Eu proponho uma solução. Que o BANIF devolva os mil e cem milhões roubados ao Estado (via contribuintes) e que os outros cem milhões sejam realizados com a venda da casa da Coelha do senhor presidente Silva. Resolvia-se o problema e a constituição e a democracia não eram suspensas de uma vez por todas. Entrámos na fase Grega da História Contemporânea de Portugal. A partir de agora tudo é possível. Até mesmo uma guerra civil...

quinta-feira, janeiro 03, 2013

Prendam os Ladrões do BPN, Os Amigos de Cavaco Silva, Moralizem a República!



Quem roubou o país que pague a dívida. Basta de roubo e de gatunagem. Nacionalize-se a Aldeia da Coelha. Ocupe-se a Casa da Coelha. A terra a quem a trabalha.

Já Inventaram Que Estava Louco e Já Tentaram Criminalizar O Protesto Agora Chegou A Vez De Tentarem Denegrir A Minha Imagem

Estou a ser perseguido pessoal e políticamente por rapazolas que estão em Loulé muito aflitos com as minhas críticas à política do PDS nacional e local. Já atinge contornos de indecência e de uma violência psicológica brutal. Já tentaram fazer-me passar por louco. Já tentaram criminalizar o meu protesto. Já tive informadores da Câmara Municipal de Loulé a seguir os meus passos. E agora passaram à fase da tentativa de denegrir a minha imagem pessoal. Vale tudo nesta terra de Loulé. Estes meninos do PSD local são perigosissímos. Chamo à atenção do actual líder do PSD Loulé, Helder Martins que na caça às bruxas levada a cabo por membros do seu partido não vale tudo.

quarta-feira, janeiro 02, 2013

Pedro, Cuida-te Pedro

Caro Pedro,

Enquanto desempregado que vai rapidamente ficar sem poder dar de comer aos seus filhos, é-me difícil aceitar que promovas o meu desemprego para que eu aceite ir trabalhar por migalhas que nem chegarão para pagar o mais básico para manter a minha família. Estás a deixar-nos sem lugar nesta sociedade. Estás a condenar-nos à morte.

Gostaria que recordasses que esta minha condição não re
sulta da minha vontade, pois sou só um meio para que tu atinjas um único fim: baixar os salários de quem ainda trabalha. Resulta sim da tua teimosia, dos teus dogmas, da tua ideologia, das tuas crenças de que a minha morte provocará, por alguma inexplicável razão, o bem-estar dos restantes. Quer parecer-me que é esta a forma que encontras para evitar retirar àqueles que têm dinheiro acumulado e que, não encontrando forma de comprar a minha força de trabalho, não conseguem multiplicar o dinheiro que lhes sobrou. É evidente que preferes gastar dinheiro em bancos, que preferes pagar uma dívida que eu não contraí; que em vez de fomentar a indústria, a agricultura, as pescas ou as minas, preferes ir destruindo cada vez mais postos de trabalho.

O que me estás a fazer é de uma violência mortal. Considero, e tu estarás certamente de acordo, que sou obrigado a fazer tudo aquilo que estiver ao meu alcance para evitar que consigas alcançar o teu propósito.

Quero dizer-te que à medida que se for aproximando o momento da morte da minha família, que menos soluções encontre, que mais dor inflijas à minha família; maior é a probabilidade de pôr em prática tantas ideias que me vão passando pela cabeça e cujo resultado seria que tivesses o mesmo fim ao qual me estás a levar.

Para evitar o que te digo, gostaria que considerasses seriamente a possibilidade de te demitires rapidamente e deixasses o caminho livre à realização de eleições, pois sabes perfeitamente que já não tens o apoio do Povo.

Sinceramente,
Alcides Santos
 
Recebido via Movimento Sem Emprego