domingo, março 29, 2020

Bolsonaros, Bolsonarinhos E Os Outros

Depois de ter afirmado que o Coronavírus era apenas um "resfriadozinho" Bolsonaro diz agora que algumas mortes vai haver, mas "paciência". A democracia continua a ser o menos mau dos sistemas políticos mas quando milhões de bolsonarozinhos elegem o seu pai salvador, as tragédias públicas podem sempre ir mais longe do que podemos imaginar. Por cá não há Bolsonaros mas tivemos os Sócrates, os Passos Coelhos e agora temos Costa (um mentiroso compulsivo ou não tivesse sido o número dois de Sócrates) e o novo Ronaldo das Finanças que humilhou enfermeiros e médicos e destruiu o Sistema Nacional de Saúde enquanto o Partido Socialista se vangloriava no espaço público de ter conseguido "o défice mais baixo da história da democracia". Eu deixei de ir votar depois de com o meu voto ter ajudado a correr com o austeritário ultraliberal Passos Coelho. E até morrer não ponho mais os pés nas urnas. O sistema venceu e a única de manter a minha sanidade mental é abandoná-lo. Uma receita que não recomendo aos outros a quem aconsellho sempre a fazerem valer os seus direitos. Podem-me dizer que assim os Bolsonaros e os milhões de bolsonarozinhos vão sempre vencer mas eu já não quero saber disso para nada. Quanto às esquerdas (PCP e BE), tristes esquerdas.
 

Rendimento Básico Universal, Já Circulam Petições

Fui talvez o primeiro em Portugal a chamar a atenção para a urgência da implementação desta medida de política pública no contexto da crise que atravessamos. Em seguida, apareceu o Livre a defender esta medida (e bem) e a lançar uma petição. E já circula uma petição à escala europeia que é importante também assinar. É possível que o actual partido associalista que nos governa vá ignorar esta medida. O ministro da economia é um homem de negócios amigalhaço de António Costa sem qualquer tipo de sensibilidade social e Mário Centeno é a catástrofe social que sabemos. Não estou crente que a sociedade perceba a importância que o Rendimento Básico Universal tem neste momento do tempo mas só uma medida deste tipo impediria a catástrofe social que temos à porta, o esfrangalhar do tecido social e uma época de revolta e rebeliões que se adivinha. Para bem da salvação do capital paradoxalmente esta é a medida que mais lhe convém mas também é aquela que de imediato mais evitaria a miséria humana e a destruição social em massa. Ver o texto em baixo hoje publicado no público.
 

17º Dia De Quarentena

17º dia de quarentena. Sair só para ir às compras o que já é um risco grande. A boa noticia é que está aí a hora de Verão o que permite durante mais tempo a luz do dia nas janelas, um passeio ao terraço ou esticar as pernas ao sol ao fim da tarde. Serve para compensar a escuridão na informação a que a autarquia de Loulé me submeteu com o secretismo sobre o que se está a passar na cidade e no concelho. Sabe-se que há quinze casos confirmados no concelho mas onde são as zonas de risco é informação que só a oligarquia familiar que nos governa localmente controla. Amanhã é outro dia.
 

sábado, março 28, 2020

Petição Contra As Migalhas Indignas Governamentais

A grave crise pandémica que enfrentamos está a levar à paragem forçada de milhares de pequenas e médias empresas que ficam sem rendimentos para fazer face à tragédia que se abateu sobre elas. O Governo tem vindo a implementar medidas avulsas e de fraco impacto na vida dos trabalhadores e nas empresas e no limite medidas absurdas tais como é exemplo a situação decretada sobre o lay-off, em que os sócio-gerentes das pequenas empresas ficam totalmente desprotegidos e os trabalhadores ficam sem rendimento durante o período de paragem de actividade.

Face à situação de emergência social em que nos encontramos é obrigação do Governo proteger as empresas e os trabalhadores ao inverso de despejar dinheiro sobre a banca, que ela gere a seu belo prazer levando a um enorme endividamento do tecido produtivo e empresarial. Na situação da enorme crise global e interna em que vivemos o Estado tem a obrigação moral de assegurar uma subsistência digna os seus cidadãos. Exigimos assim que sejam tomadas medidas que assegurem o rendimento dos trabalhadores neste período tremendo da nossa existência colectiva.

Dirigimos assim esta petição ao senhor Presidente da Assembleia da República, ao Senhor Primeiro-Ministro de Portugal e aos senhores Deputados da Nação para procederem à sua discussão na Assembleia da República e procederem em conformidade com as nossas exigências. Enviamos também esta petição ao senhor Presidente da República como um grito de alerta para a situação trágica em que muitos indivíduos e famílias já se encontram.

Com os nossos melhores cumprimentos
 
Assinar aqui:

O Pico Da Pandemia É Quando Um Homem Quiser

O pico da pandemia é quando um homem quiser. Nada bateu certo nas autoridades de saúde e governamentais e a informação foi propagandística, incoerente, contraditória e por vezes até criminosa. A maior parte dos portugueses gosta e é o que temos. E quem ainda questiona o que as autoridades vão incoerentemente dizendo é censurado moralmente e vilipendiado. Portugal é hoje isto. E isto vai acabar muito mal porque já tinhamos destruído o nosso SNS com as políticas défice zero de Mário Centeno e António Costa e decididamente aquilo que nos caracteriza é muito mais a incúria do que a prevenção.
 

O Regresso Do Zé Parvinho, Essa Nova Figura Típica Do Mundo Contemporâneo Português

Isto já vai com 100 mortos e essa figura mítica do Zé Parvinho acha que está tudo a correr bem. Eu já vi este filme no primeiro ano da austeridade em Portugal. Doentio.

https://www.dinheirovivo.pt/outras/covid-19-100-mortos-e-5170-casos-confirmados-em-portugal/

A Censura Moral Ao Escrutínio Político Ao Rubro Nas Redes Sociais

Os novos censores morais estão ao rubro nas redes sociais. Tudo caladinho que o Governo está a fazer o que deve. A Graça Freitas também. A Marta Temido desapareceu porque sim. E não falta nada nos hospitais como disse o senhor Primeiro-Ministro Costa. Salazar está inscrito nas profundezas de grande parte dos Portugueses e estes contextos são óptimos para os fazer vir ao de cima.

sexta-feira, março 27, 2020

O Lay-off Ridículo Do Dr. Costa

Absolutamente ridículas as medidas do lay-off implementadas pelo governo do Dr. Costa. Parece que as medidas em vez de serem feitas para proteger os pequenos empresários e os trabalhadores são feitas para os desproteger. Quem implementa medidas destas ou as faz de má fé ou não conhece o tecido empresarial português (constituído maioritariamente por pequenas empresas, muitas delas familiares). Os sócio-gerentes não têm direito a coisa nenhuma e os trabalhadores têm direito a prémio no valor do salário mínimo nacional, pasme-se, quando as empresas retomarem a actividade. Fica a pergunta: - E durante o largo período que vai durar esta crise os trabalhadores vão viver do quê?

Arrancar A Informação A Ferros II

Boa tarde senhores deputados,
 
 
Sou residente em Loulé e sabemos através da comunicação social que já há 14 casos de pessoas infectadas. A informação que tem saído sobre os casos no Concelho tem sido muito reduzida e considero fundamental saber de que zonas do Concelho de Loulé são estes casos, quais os focos de contágio potenciais e quais têm sido os procedimentos das autoridades de saúde na gestão destes casos.
Fica-se com a sensação que a autarquia de Loulé está a ocultar informação fundamental para tranquilizar os cidadãos e para que estes se protejam, os seus familiares e os outros com quem contactam. Infelizmente ainda há muita gente que tem que sair à rua para trabalhar ou para comprar bens de primeira necessidade. Sair à rua a navegar no desconhecido por falta de informação do que se passa na localidade pode pôr em risco maior as pessoas que vivem no Concelho e aumenta o risco de disseminação do vírus. Agradeço o acesso a esta informação tornando-a pública se assim o entenderem.
 
 
Muito obrigado pela vossa atenção
João Eduardo Martins
Residente em Loulé

Redutos Ímpares De Competência

Enorme entrevista do jornalista Vítor Gonçalves na RTP3 a Carla Nunes, Diretora da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa. Uma competência enorme do jornalista e da investigadora, ambos extraordinariamente bem preparados. Um jornalista que nas questões económicas resvala frequentemente para as concepções neoliberais tem revelado uma competência ímpar para os dias que correm neste retângulo à beira mar plantado. Serviço Público.