terça-feira, setembro 18, 2018

A Vida de Todos Os Dias Durante O Governo Défice Zero

O nosso Sistema Nacional de Saúde vai uma maravilha. Ontem paguei um consulta no sector privado de 100 euros por causa de um problema de saúde do meu filho. Hoje pediram-me 500 euros por uns exames no sector privado que ele deve fazer com a maior urgência e que no sistema público demoram meses. Ainda hoje tivemos conhecimento de que os enfermeiros do Hospital de São José fizeram um abaixo assinado a pedir transferência do serviço de urgências por falta de condições de trabalho. Quanto não vale um governo das "esquerdas" na nossa vida. E ai de quem se atreva a dizer o contrário.
 

Há Um Cheiro A Bafio Que Paira No Ar

Portugal é hoje isto. Reina a arbitrariedade do poder, o amiguismo, a vassalagem, o culto das "boas relações". Não se recomenda e tresanda a bafio. Um país assim não se desenvolve.
 

O Polvo Do Petróleo Em Portugal

Factos relevantes para a luta contra a prospecção e exploração de petróleo no Algarve:
- Em Agosto de 2018 a Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) consegue travar temporariamente em tribunal a prospecção de petróleo no Algarve.
- Uma dezenas de horas depois o Ministério do Mar recorre da decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé que travava a prospecção e exploração de petróleo ao largo de Aljezur saindo em defesa dos interesses da petrolífera GALP.
- Em Setembro de 2018 rebenta o escândalo. Ficamos a saber publicamente que o Director-Geral das Políticas do Mar, Ruben Eiras veio directamente da GALP para o Ministério do Mar e que entre Janeiro de 2016 e 2018 foi assessor da Ministra do Mar e trabalhador da GALP. O Despacho governamental que o nomeia faz referência explicita ao facto de Ruben Eiras ser recrutado na condição de "trabalhador da GALP" onde ocupava um cargo de gestão executiva.
- Carlos Gomes da Silva, Presidente Executivo da GALP, é actualmente arguido no caso GALPGATE na sequência da GALP ter andado a pagar viagens ao Euro 2016 a membros do governo de António Costa, deputados da oposição e autarcas.
- Costa Pina, Administrador da GALP, é actualmente arguido no caso GALPGATE na sequência da GALP ter andado a pagar viagens ao Euro 2016 a membros do governo de António Costa, deputados da oposição e autarcas. Costa Pina foi Secretário de Estado do Governo de José Sócrates, onde o Ministro da Economia era Manuel Pinho, governo responsável pela assinatura do contrato de exploração petrolífera ao largo de Aljezur, na Costa Vicentina.
- José Sócrates, Primeiro-Ministro que é arguido em inúmeros casos de corrupção é hoje conhecido pelos dias de prisão que passou na cela 44 em Évora.
- Manuel Pinho é hoje arguido num processo em que se sabe que recebia duplamente como Ministro da Economia e como trabalhador numa grande e conhecida empresa privada num conflito de interesses inaceitável num Estado de Direito democrático.
- O senhor Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa que recebeu em audiência, em Agosto de 2018, na Junta de Freguesia de Almancil, o Movimento Algarve Livre de Petróleo (MALP) e a Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) disse à saída do encontro que ia reflectir sobre o furo de petróleo de Aljezur e até hoje continua a meditar.
Movimento Algarve Livre de Petróleo

segunda-feira, setembro 17, 2018

Uma Entrevista A Ler

Uma grande entrevista do sociólogo Sérgio Aires na hora da saída da Rede Europeia Anti-Pobreza. Está cá tudo. A culpabilização dos pobres pela sua condição. A divisão social entre pobres "merecedores" e "não merecedores" dos apoios sociais. A incapacidade das políticas da UE para fazer face à pobreza. A reprovação moral dos pobres sobre os próprios pobres. A dificuldade na sociedade portuguesa em fazer da pobreza um problema social sério a combater. A ler.
 

sábado, setembro 15, 2018

Geringonça Défice Zero

A geringonça das políticas défice zero é possível que esteja a construir dos melhores sistemas públicos de saúde do mundo. Ninguém dúvida disso. Mesmo que qualquer dia esse melhor sistema de saúde do mundo seja feito sem médicos. Tal como nas escolas melhorar a escola pública passa obviamente por humilhar os professores e tentar virar a opinião pública contra os profissionais que fazem a escola acontecer. Humilhar fazendo de conta que se cuida é a nova estratégia governamental. Com a clara conivência de Bloco de Esquerda, PCP e Verdes. A história os julgará.
 

sexta-feira, setembro 14, 2018

Pedido De Esclarecimento

Exmo Senhor Director-Geral da Política do Mar,
Doutor Ruben Eiras
 
Na edição de 11 de Setembro de 2018 do jornal Público, João Camargo, conhecido activista e dirigente do Bloco de Esquerda, para além de ter denunciado a sua passagem directa da Galp Energia em Fevereiro de 2018 para Director-Geral da Política do Mar, refere que o Doutor Ruben Eiras entre Janeiro de 2016 e Janeiro de 2018 acumulou, e passo a citar: “simultaneamente as funções de assessor da Ministra que tratava dos assuntos da GALP e de gestor da Galp”. Tendo em conta a gravidade dos factos aqui denunciados vinha perguntar ao Doutor Ruben Eiras da veracidade dos mesmos e a serem verdade se não acha que estamos perante um conflito de interesses entre o Estado e uma empresa privada, obviamente inaceitáveis. Aproveitamos também para lhe dizer que não percebemos a sua posição pública de defesa da prospecção de petróleo ao largo de Aljezur uma vez que nos parece que confunde a Política do Mar com uma política de exploração dos recursos marítimos. Junto envio o link para o artigo do jornal Público onde esta situação foi abordada. Agradecemos desde já os seus esclarecimentos quanto a este assunto.

terça-feira, setembro 11, 2018

O Bobo Da Corte

Marcelo Rebelo de Sousa associou-se hoje ao apelo urgente do Secretário Geral da ONU, António Guterres, para combater as alterações climáticas. Agora só falta o Governo insano de António Costa rasgar os contratos do furo de petróleo de Aljezur no Algarve e parar as malfeitorias às populações que habitam a região. António Costa está amanhã em Loulé e como já vai sendo habitual a comunicação à imprensa é feita de véspera para se evitarem os protestos contra a exploração de petróleo no Algarve. O Presidente da Câmara de Loulé vai estar ao lado do senhor Primeiro-Ministro a inaugurar o Conservatório de Música de Loulé. Esperemos que o autarca Vítor Aleixo não nos dê a música a que já nos habituou e peça de uma vez por todas a António Costa para parar o crime político e ambiental do furo de petróleo de Aljezur. Basta das figuras ridículas a que já nos habituou ao fazer de mero bobo da corte.
 

segunda-feira, setembro 10, 2018

Branquear A Memória Histórica Na Luta Anti-Petróleo Em Portugal

Este post é sobre a memória histórica. Mais concretamente sobre a manipulação da memória histórica da luta anti-petróleo em Portugal. Luís Fazendeiro, da Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP) escreve um artigo na Edição Portuguesa do Le Monde Diplomatique deste mês de Setembro intítulado "A luta contra a exploração de gás e de petróleo em Portugal" e situa aquilo por que designa "Ano zero da luta" o ano de 2015 quando foi criada a PALP. Apesar de reconhecer "anteriormente já haver vários movimentos a manifestar-se contra os hidrocarbonetos" de uma assentada apaga o meritório trabalho do MALP, da ASMAA e as importantes denúncias iniciais de Mendes Bota da História desvalorizando-as como coisa de menor importância. Luís Fazendeiro da PALP com um apagão histórico em forma de auto-elogio, transformou a sua história e a história da PALP na história da luta social anti-petróleo em Portugal. A manipulação da história para benefícios próprios é típica de regimes ditatoriais de esquerda como a Coreia do Norte ou ainda de regimes fascistas de direita como no Portugal de Salazar. Em democracia seria de esperar que a verdade histórica não fosse apagada com esta facilidade mas vamos dar um desconto pois Luís Fazendeiro é doutorado em Química e não propriamente doutorado em história dos movimentos sociais e ambientais. De uma assentada as importantes denúncias de Mendes Bota, as petições, acções de rua e de sensibilização das populações, denúncias públicas nos jornais nacionais, (etc, etc, etc) do MALP e a acção de Laurinda Seabra da ASMMA foram enterradas num apêndice da História. Três anos de luta (2012-2015) enterrados no bau de Luís Fazendeiro da PALP. É óbvio que a criação da PALP (saberá Luís Fazendeiro que a designação Plataforma Algarve Livre de Petróleo foi uma criação que resultou de uma proposta do MALP na reunião que deu origem à PALP?) introduziu uma mudança qualitativa importante na luta, pelas agremiações que à volta de si conseguiu juntar e a luta a partir de 2015 passou a ser muito mais forte. Mas o MALP não poderia deixar de deixar neste post de denúncia da tentativa de monopolização da memória histórica da luta ambiental anti-petróleo em Portugal de realçar o papel de todos aqueles que no Algarve e no Alentejo têm tido um papel decisivo nesta luta´apesar de nem sempre estar de acordo com as suas dinâmicas de luta e de muitas vezes os ter criticado. Tavira em Transição, Stop Petróleo Vila do Bispo, ASMAA, MALP, Fracking Aljezur, PALP, ALA, FALA, Tâmera, etc, etc, etc, têm tido uma importância decisiva não se podendo de maneira nenhuma reduzir os resultados desta luta ao meritório trabalho da PALP. Outra ideia feita nos últimos tempos é também preciso desfazer. As acções em tribunal da PALP foram de uma importância fundamental para travar temporariamente o furo de petróleo de Aljezur mas é bom que a lucidez dos acontecimentos não se perca porque todos os contratos de petróleo que foram cancelados até ao momento em Portugal (metade do Algarve em terra, Peniche, Algarve no mar, etc) nenhum destes contratos foi travado por interferência de um qualquer tribunal. Foi a luta popular determinada nas ruas, nas redes sociais e em toda a sua alargada capacidade de acção que impediu as petrolíferas de escavacarem o território nacional. Branquear a memória histórica pode dar muitos louros a alguns que se querem apropriar do reconhecimento do trabalho de todos. Mas não ajuda em nada a luta contra a exploração de petróleo em Portugal.

domingo, setembro 09, 2018

Para Que Serve Uma Facada Num Fascista?

Os tempos andam perigosos. Um fascista levou uma facada de um perigoso esquerdista e no hospital interrogou-se do porquê se nunca tinha feito mal a ninguém. Ao fascista não lhe ocorre pensar nas milhões de facadas que dá nos pobres quando propõe como forma de resolver os problemas da pobreza a esterilização dos pobres. As esquerdas pelo mundo inteiro reagiram com muito cuidado e não lhes ocorre nem por um minuto que propôr a esterilização dos pobres não é o mesmo que propôr a esterilização dos gatos e dos cães (hoje muito na moda numa esquerda fofinha que poderia muito bem ser militante do PAN) e que estamos perante uma proposta altamente violadora dos direitos humanos que constitui um crime contra a Humanidade. Não, nada disso. As esquerdas fofinhas dos males menores que também incorporaram o neoliberalismo no corpo e na alma (estranha contradição) e que seguem hoje em dia as políticas défice zero de Bruxelas já nem sabem o que são. O fascismo agradece. E ele está aí a trepar paredes a alta velocidade. Ironias da História. O vazio de ideias em política não deixa nunca de ser ocupado por outras.
 
 
 

Marcha Do Clima Em Faro Mostra Cartão Vermelho Ao Governo De Costa

Uma massa enorme de gente saiu à rua em Faro e mostrou um cartão vermelho ao Governo que não respeita a vontade popular e insiste em fazer o furo de petróleo de Aljezur. Os protestos não vão parar. A razão da força não pode vencer a força da razão. E a razão está do lado de todos aqueles que defendem um Algarve com futuro e livre de petróleo.