terça-feira, janeiro 13, 2015

A Ler, Sobre A Esquerda Fofinha Do Mal Menor

"Que bem que falava a Ana Drago no Parlamento contra a austeridade e a delinquência dos tempos do socratismo. Que bem que escrevia o Daniel Oliveira no Expresso e no Arrastão contra  os atentados contra tudo o que era público, contra tudo o que eram direitos sociais e laborais  e contra a regressão social da austeridade dos tempos do socratismo. "Crime organizado" era expressão corrente no Arrastão. A Ana Drago era particularmente demolidora na forma como punha um Governo inteiro a abanar quando ia ao Parlamento. Aprendi a admirá-los, a eles e a outros como eles hoje nas mesmas "movimentações cidadãs", por como eram. Eram a voz daqueles que, como eu, não têm visibilidade para ter voz mas que nem por isso deixam de ter ideias e ideais, de revoltar-se com as canalhices. E agora decepcionam-me todos os dias. A última delas foi com esta "resolução política" que aprovaram ontem em Assembleia Geral extraordinária da Fórum Manifesto. No ponto 1 falam em "lógica punitiva, destruidora de direitos sociais e expectativas de futuro democrático que resultam da governação PSD/CDS". Já não resultam da governação PS, aliás como reforçam no ponto 5, onde referem que "para o tempo político que vivemos não basta, contudo, somar organizações – as consequências políticas e sociais de quatro anos de austeridade exigem uma mobilização e participação cidadã". E já não são 12  os anos de austeridade. No ponto 7 sabe-lhes bem porem-se à boleia da eventual vitória do Syriza na Grécia, mas em nenhum lado falam em renegociação da dívida ou em rasgar o Tratado Orçamental que nos condena à austeridade eterna. O resto também é conversa fiada. Aprenderam depressa a ser como os outros. E como os outros já temos tantos que até sobram por aí aos caídos. Gosto tanto de os ouvir falar."
 
Aqui:

Sem comentários: