quinta-feira, julho 31, 2014

A Exploração de Petróleo E As Elites Dominantes Corruptas de Mãos Dadas No Algarve

Mais uma vez a elite dominante corrupta do Algarve, com especial destaque para a classe política vai vender o Algarve a interesses obscuros. O Algarve turístico tal como o conhecemos já era. Os ideólogos do empreendedorismo já podem avançar com a ideia do "Turismo Petrolífero". Mais uma vez, vamos deixar que tudo nos aconteça. Nós, Súbitos, não cidadãos.
 

quarta-feira, julho 30, 2014

A Ideologia Austeritária Como Novo Modo De Dominação Social

E portanto, retirar rendimento a quem trabalha e transferir de forma massiva para o capital. É isso, sobretudo, aquilo em que consiste hoje, a ideologia da austeridade como novo modo de dominação social.
 

terça-feira, julho 29, 2014

Protesto Na Manta Rota e Na Aldeia Da Coelha - Utentes Da Via Do Infante Vão Cortar No Descanso De Pedro Passos Coelho



O povo algarvio decretou está decretado. Juntemo-nos na Manta Rota e na Aldeia da Coelha (aldeia BPN) no corte ao descanso do Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho, Domingo, dia 10 de Agosto (Manta Rota, 10 horas da manhã) e no corte ao descanso do responsável máximo do Estado a Que Isto Chegou, Aníbal Cavaco Silva, Sábado dia 9 Agosto (Praia da Coelha, 20 horas). As portagens da Via do Infante estão a provocar um desastre na economia algarvia e aos utentes desta via não foi deixada outra alternativa senão continuar a exigir de forma determinada o fim das portagens. Se já não bastasse os frequentes cortes de salários e de pensões, se já não bastasse a destruição da dignidade e da vida das pessoas; as políticas deste governo PSD/CDS teimam em prejudicar em modos nunca vistos a vida dos algarvios com a extorsão do dinheiro das portagens para enriquecer as concessionárias privadas. As portagens no Algarve significam falência de empresas, acidentes e mortes nas estradas, filas intermináveis na rua urbana 125, diminuição drástica da qualidade de vida das pessoas, enriquecimento ilícito de accionistas privados a ser pago com o dinheiro dos contribuintes através de uma PPP ruinosa para toda a região. Dia 9 de Agosto e dia 10 de Agosto, respectivamente na Aldeia da Coelha e na praia da Manta Rota os utentes da Via do Infante apelam a toda a população algarvia a vir cortar no descanso do senhor Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho e a vir cortar no descanso do Senhor Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva. Enquanto não pararem de arruinar a vida dos portugueses não terão direito a um descanso digno. Juntemo-nos de novo na Manta Rota a 10 de Agosto! Governo Rua!

domingo, julho 27, 2014

Perigo, Ladrões À Solta

Este fim de semana podia ter corrido melhor. Comecei por ser assaltado no salário pelos ladrões do PSD/CDS e acabei com o espelho do lado do condutor partido e roubado. Espero que as motivações não tenham sido as mesmas em ambos os casos. Lá vou amanhã fazer queixa à polícia. Boa semana para todos.

Volto a Insistir, Pacheco Pereira É o Mais Lúcido De Todos Nós, Sobre O Estado A Que Isto Chegou

– Insatisfeitos, pessimistas e sem esperança. 96% acham que a situação económica do país é má. Repito, 96%, um número daqueles que se costumam chamar “albaneses”. Só que neste caso é bem português. Ou seja, quase todos os portugueses descrêem do “milagre” económico que, com cada menos convicção, Passos Coelho, Portas e Pires de Lima propagam por todo o lado. Não lêem a imprensa económica, não lêem os blogues governamentais, não lêem os comentadores do Observador, não acreditam no PSD e no CDS, mesmo quando deles fazem parte. Nenhum país da Europa tem estes resultados, nem a Grécia. Percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas, em nenhuma circunstância, mesmo quando o argumento a seu favor é da natureza dos argumentos que eles próprios costumam usar: facilitar com alguns meses de antecipação eleitoral, a atempada preparação do Orçamento.
Muito preocupados com o futuro. São gente sábia e razoável e realista e pensam na sua maioria que o “pior está para vir”. Os europeus, pelo contrário, acham que o pior já passou. Os franceses, os cipriotas, os eslovenos, os italianos e os gregos também acham que o pior está para vir, mas acham menos do que os portugueses. Nenhum povo da Europa tem tanto medo do futuro como os portugueses. Percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas.
Com medo de caírem na pobreza. Quase 40% dos portugueses receiam “cair” num estado de pobreza, o que é um número altíssimo. É verdade que há mais gregos com idêntico receio, mas este número por si só dá um retrato “existencial” da situação dos portugueses que não eram pobres e agora temem estar a caminho de o serem. Muitos temem, mas muitos já sabem: já têm muitas dívidas, estão em incumprimento nos seus empréstimos, têm ameaças de penhora do fisco sobre os seus bens e o seu salário, por isso o seu mundo só pode piorar. E cada ano que passa é pior, nem sequer é preciso mais qualquer pacote de austeridade, basta os que já existem. Basta o que já perderam de salário, de pensões, de reformas, de apoios sociais. Para a frente é sempre pior a escuridão. Percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas.
Têm medo do desemprego e do custo de vida, estão esmagados por impostos e, se têm emprego, vêem o seu salário sempre a baixar. Já não chega o que ganham. Vão agora começar a viver acima das suas possibilidades durante uns meses, para depois deixarem de ter possibilidades e não poderem cuidar das suas necessidades básicas. Percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas.
Não acreditam em nada, nem em ninguém. Nem nos políticos, nem na política. Quase que já não acreditam na democracia. Não têm qualquer confiança no actual Governo. 85%, repito, 85%, não têm confiança no Governo. Outro número “albanês”, mas bem português, acima de todos os outros na Europa. Percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas.
Humilhados, maltratados, desprezados. Tratados como ricos indevidos, eles que nunca foram ricos, só quando muito remediados. Culpados de serem velhos e estarem cá a mais a atravancar os jovens que estão a “trabalhar” para eles receberem as pensões e reformas. Culpados de terem emprego, com salários e alguns direitos, e por o terem estarem a impedir os desempregados de aceitarem receber uma miséria e poderem ir para a rua a qualquer altura. Culpados de serem pobres e receberem alguns apoios sociais. Ser pobre significa ser calaceiro e não querer trabalhar. Culpados de serem professores, ou calceteiros, ou enfermeiros, ou trabalhadores de um serviço municipal, ou auxiliares de limpeza, ou técnicos de informática, ou motoristas, ou qualquer outra coisa, se estiverem na função pública. Culpados de serem “piegas”, neo-realistas, protestantes, reivindicadores, sindicalistas, incomodados, desrespeitadores da autoridade, corporativos, não yuppies, estudantes de qualquer curso “sem empregabilidade”, cultores das humanidades em vez da gestão, do marketing, e do “empreendedorismo”. Como ninguém gosta do desprezo, a não ser que seja masoquista, percebe-se muito bem por que razão o PSD, o CDS e o Presidente não querem ouvir falar de eleições antecipadas.
 

sexta-feira, julho 25, 2014

No Rumo Certo

Uma grande entrevista de João Semedo ao jornal SOL. Não sendo um líder carismático é dos dirigentes políticos mais sérios e mais lúcidos sobre a situação em que Portugal se encontra e o caminho que é necessário percorrer. Se não estiver eu enganado é essa convicção nos princípios e a consistência ideológica que vai segurar o Bloco de Esquerda como um partido em quem se vai ter que continuar a contar no futuro de Portugal.

Salvem Os Banqueiros!

"Acabou a discussão na comissão de orçamento e finanças a proposta do governo que faz cortes nas pensões, aumenta para 11,2% os descontos para a segurança social e ADSE e aumenta o IVA. Amanhã logo de manhã será discutida a proposta dos cortes salariais na Função Pública. Ao meio-dia tudo será votado em plenário. Este governo não desiste de roubar quem trabalha ou trabalhou uma vida inteira."
 
Lido no facebook de Mariana Aiveca

quarta-feira, julho 23, 2014

Desabafos Associológicos Na Era Da Troika

O Sérgio Lavos tem razão. Quando maior o nível de traição à pátria mais premiados são. O Zé Povinho que o José Pereira batizou de alguns tempos atrás de Zé Parvinho começa a ter um grau elevado de responsabilidade nisto. É que quando não se aprendeu a distinguir o bem do mal ou uma simples distinção do que está certo e está errado, só se tem aquilo que merece. É certo que houve Salazar, é certo que existem desigualdades indecorosas, é certo que a iliteracia em massa não ajuda, é certo que um historial de "senhor doutor como está" e uma forte distância ao poder não ajudam, é certo que os partidos políticos adormeceram as populações, é certo que a hiperindividualização das relações sociais e a sociedade de consumo não ajudam, mas porra, desculpem lá, o que é demais não presta. Não conseguindo mudar de governo e não podendo mudar de povo, o que nos resta?
 

Investigações Filosóficas

Bom dia. Cá vai a pergunta. Como sabem os filósofos, sem perguntas não vale a pena procurar as respostas. Se António Costa o melhor que tinha para dar ao país é uma aliança com a direita radical que destrói o país porque raio não se deixou estar quietinho no sítio onde estava?

terça-feira, julho 22, 2014

Alternâncias, Não Confundir Com Alternativas

António José Seguro foi uma nulidade enquanto líder da oposição num contexto em que uma boa parte dos portugueses foi vandalizado pelas políticas da Troika e com o além da Troika de Pedro Passos Coelho. Foi por demais evidente o jogo duplo que andou a fazer, defendendo às Segundas, Terças e Quintas uma austeridade fofinha e às Quartas e Sextas o namoro aos credores e aos "mercados". Os resultados eleitorais das Europeias deram no que deram e o descontentamento dos militantes do PS tem que ver quase estritamente a ver com isso, com um resultado eleitoral de desastre. A novidade que está em cima da mesa é que António Costa é ainda pior politicamente do que Seguro. O seu namoro ao PSD de Rui Rio ganham contornos de indecência quando sabemos que a governação de esmagamento e de desastre a que estamos a assistir não é uma coisa só de Pedro Passos Coelho, nem sequer só do seu governo mas foi suportada por todo o aparelho do PSD e do CDS com o apoio tácito do PS de Seguro. Se o PS escapar desta ao caminho do PASOK na Grécia escapa a tudo. Portugal e a grande parte dos portugueses é que com certeza não escapam a mais esta catástrofe política que se adivinha.

domingo, julho 20, 2014

Perspectivas

A visão a partir de cima e de fora é normal que seja diferente da visão a partir de baixo e de dentro. É que quem está dentro normalmente não tem a capacidade de olhar a partir de fora. E isso explica muita coisa. Não vale a pena  agora entrar em pormenores.

sábado, julho 19, 2014

Ainda O Tolo Do António Costa

O tolo do António Costa quer fazer uma boa parte dos portugueses passarem por parvos. Quer-nos convencer que o problema desta governação de catástrofe é apenas e só de Pedro Passos Coelho e de alguns seus aficionados e que haveria um outro PSD em estado de decência para fazer alianças. A indecência na política atingiu limites inimagináveis. Eu percebo que o Dr. Jorge Sampaio fique horrorizado com o ataque à classe política em geral, seja lá isso o que fôr, mas não se espante de isso acontecer pois são mesmo muito poucos que primam por não se pôr a jeito. Um estudo revelado esta semana na imprensa apontava para 9% da população portuguesa que ainda confia nos partidos políticos. É obra.

O Namoro De António Costa À Direita Radical Portuguesa

Lido no jornal i de hoje. Costa abre portas a aliança com PSD se Passos Coelho sair. De facto António Costa consegue ser um retrocesso em relação às posições de António José Seguro. Questionado há alguns dias atrás sobre a renegociação da dívida disse que não era o momento adequado para a discutir (qual será o bom momento?). Hoje abre a porta à aliança com a direita portuguesa mais radical desde pelo menos o 25 de Abril de 1974. Vai ser interessante saber onde se posicionam Ana Drago e Daniel Oliveira nesta estória.

Viver Habitualmente

Hoje fui ver e ouvir Jorge Sampaio em Loulé. A determinada altura dei comigo a pensar em coisas como missa, padres e moral. Fiquei a perceber que devemos procurar compromissos porque isso é que nos vai tirar desta situação. Nem uma palavra sobre a política draconiana do Governo PSD/CDS, nem uma palavra sobre o Tratado Orçamental e as consequências draconianas que este tem sobre a vida dos portugueses, nem uma palavra sobre a austeridade perpétua a que nos querem condenar. A renegociação da dívida foi abordada de forma tímida e nem uma palavra sobre a ruína do país através das aventuras e da salvação do bancos e dos banqueiros. O empobrecimento é dado como uma inevitabilidade a que convém alguma habituação. O interessante da palestra de Jorge Sampaio foi o não dito do seu discurso. Preocupante o futuro que nos espera. Não temos quase ninguém (são muito poucos) que nos defenda.

sexta-feira, julho 18, 2014

O Espírito De Seita

Sobre o espírito seita na vida dos partidos. O mesmo que fez com que o Dr. Vítor Aleixo não me atendesse na Câmara Municipal de Loulé em retaliação por ter protestado com uma decisão dos seus vereadores, que no limite, é responsabilidade sua também.
 

quarta-feira, julho 16, 2014

Pelo Fim Do Regime De Castas

"A política e o espaço democrático estão restringidos a muito poucos. As instituições e os governos que temos não expressam a vontade da grande maioria da população. Do que hoje precisamos é de uma articulação de sectores e grupos que construa uma nova hegemonia que se consubstancie numa prática de emancipação. Nela cabe toda a gente que se cansou de ser roubada e explorada e que não acha natural que quando há dividendos ganham os ricos e quando há prejuízos paguem só os que trabalham e os reformados. A divisão não se faz entre esquerda e direita, mas em sectores que aceitam este regime de negócios e a maioria da população que é vítima deste saque continuado. Não faz nenhum sentido ir para o governo com gente que aceita o Memorando da troika, o Tratado Orçamental, o regime da santificação das negociatas e a expulsão da maioria da população da democracia. Faz todo o sentido expressar do ponto de vista político uma maioria social. Mais que uma mudança de governo, do que precisamos é do fim deste regime de castas, em que política e negócios se confundem e se disfarçam numa alternância de partidos. Basta cumprir a Constituição."
 
Por Nuno Ramos de Almeida

terça-feira, julho 15, 2014

Construção Em Cima Das Dunas Senhor Presidente, Quem Autorizou? Vale Tudo?


Construção junto à praia do Ancão em cima das dunas. Vale tudo. Continuamos a funcionar à maneira antiga. Haverá quem investigue? O ministério público ou o DIAP talvez? Talvez o Presidente Vítor Aleixo e o Vice-Rei de Loulé, o Dr. Hugo Nunes, possam passar por lá para se certificarem que estas construções (que epíteto atribuir?) não estão a ser feitas no Concelho de Loulé.

Onda de Solidariedade, Vamos Todos Salvar O BES

Vamos lá ajudar os pobrezinhos outra vez. Quando os banqueiros pedem "ajuda" os reformados, os trabalhadores (sobretudo os funcionários públicos) e os desempregados têm que "colaborar". Ao Governo cabe-lhe organizar o confisco e em simultâneo "poupar" nas escolas, nos hospitais, na segurança social e em todas essas coisas "despesistas". Ao povo compete-lhe começar a discutir o Mundial de Futebol de 2018.
 

segunda-feira, julho 14, 2014

As Incoerências De Uma Certa Esquerda

Não tenho dúvidas que Ana Drago está no seu direito no seu desejo de aproximação aos socialistas mas também não tenho dúvidas que está a prestar um péssimo serviço à esquerda portuguesa. As políticas de austeridade aprovadas pelo PS não contam nesta equação? O que dizer sobre o Tratado Orçamental? Como é que isso é compatível com esse utópico socialismo de esquerda nestas condições?

domingo, julho 13, 2014

O Que É Feito Da Plataforma Anti-Portagens Da Via Do Infante Coordenada Por Jorge Botelho Da AMAL?

Foi em Loulé o último protesto da CUVI contra as portagens da Via do infante, ontem, dia 12 de Julho de 2014 e de Loulé não apareceu ninguém do PS, esse extraordinário promotor da plataforma Algarvia Anti-Portagens. Foi um bom teste. Afinal, o que eles quiseram, essa gentinha (cada vez mais detestável do PS) foi mesmo desmobilizar o protesto anti-portagens. Ganham novamente os banqueiros e os credores. O Dr. Vítor Aleixo passou por lá de fininho com uma certa vergonha de ser acusado de não ter aparecido quando há apenas alguns meses atrás mediou a mesa da promessa da plataforma anti-portagens. Somos grande povo.

Loulé, 12 de Julho de 2014 - Pela Abolição Da PPP Ruinosa Da Via Do Infante


Confidencial. O que esconde o anexo 16 do contrato PPP da Via do Infante? O direito de transparência nos contratos da administração pública exige que os cidadãos tenham acesso a essa informação.

sexta-feira, julho 11, 2014

Dr. Pedro Nunes, BIG BROTHER IS WHATCHING YOU

O Dr. Pedro Nunes já tem a orientação estatal para assumir a responsabilidade formal dos Serviços de Urgência Básica e recebeu a verba para a gestão. Se os serviços falharem daqui para a frente só podemos concluir pela sua enorme incompetência que de resto já não nos deixava dúvidas. Vamos estar atentos e vigilantes.
 

quarta-feira, julho 09, 2014

Aviso De Protesto Com Conhecimento Do Senhor Presidente Da Câmara Municipal De Loulé

À atenção do Exmº Sr. Presidente
da Câmara Municipal de Loulé
Loulé

Para os fins julgados convenientes, a organização denominada Comissão de Utentes da Via do Infante (CUVI), com o objetivo de continuar a luta pela suspensão das portagens na Via do Infante, vem por este meio informar esta Câmara Municipal que decidiu organizar uma marcha lenta de viaturas no próximo dia 12 de Julho na EN 125, entre Loulé e Faro, com partida prevista pelas 17.30 h junto à Estátua Duarte Pacheco, em Loulé, passando por Almancil e pelo aeroporto de Faro e terminando junto ao Fórum Algarve.
Com os melhores cumprimentos.

A Comissão de Utentes da Via do Infante

Franz Kafka Em Modo Provinciano

Voltou o sono tranquilo. Fui ao posto da GNR de Loulé onde fui informado à segunda tentativa (nem conto como) de que a identificação no local do protesto destina-se apenas, e só, à elaboração de um relatório interno sobre a minha pessoa e que não segue nenhum processo para tribunal na sequência do protesto na relva das urgências de Loulé. Fico mais descansado.

Sobre A Criminalização Do Protesto Social

Há cinco dias atrás neste mesmo lugar, à porta das Urgências de Loulé, em protesto contra a falta de médicos estiveram o Presidente da Câmara Municipal de Loulé e o Presidente da Câmara de São Brás de Alportel. Hoje estive eu, um simples cidadão comum em protesto pelos mesmos motivos. Fui identificado pela polícia e avisado que o processo segue para tribunal. Se alguém quer melhor definição da refeudalização do mundo, aqui tem. Cidadãos de primeira e de segunda. Até no direito ao protesto. PS: Não consta que a CML tenha avisado a polícia do protesto do Senhor Presidente. Mais informo que se fôr constituído arguido entrarei em greve de fome à porta da Câmara Municipal de Loulé contra a criminalização do protesto social até ser retirada a queixa.

terça-feira, julho 08, 2014

De Cidadão de Corpo Inteiro a Criminoso, Um Pequeno Passo, Eis-nos Chegados A Isto

Hoje é dia de greve dos médicos. Em nome do Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços de Saúde de Loulé, montei uma tenda de campismo na relva do Centro de Saúde e levei quatro cartazes com a mensagem que quis fazer passar. Os cartazes diziam "Utentes de Loulé estão solidários com a greve dos médicos"; "Queremos as urgências de Loulé a funcionar a 100%"; "Exigimos mais profissionais de saúde". O segurança privado do Centro de Saúde de Loulé chamou a polícia e a polícia identificou-me e informou-me que o processo seguiria para tribunal. Parece que ganhei um novo estatuto social, o estatuto de criminoso. Teria piada se isto não tivesse graves consequências profissionais. Chegámos a isto. Obrigado a todos os que permitiram que chegássemos aqui. Deixo-vos aqui uma foto que testemunha o grave crime cometido.

Comunicado de Imprensa – Movimento De Cidadãos Em Defesa Dos Serviços Públicos de Saúde De Loulé

Comunicado de Imprensa – Movimento De Cidadãos Em Defesa Dos Serviços Públicos de Saúde De Loulé
Assunto: Manifestação pública de solidariedade com a greve dos médicos de 7 e 8 de Julho
Data: 08/07/2014
O Movimento De Cidadãos Em Defesa Dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé vem por este meio tornar público o seu apoio e solidariedade total com a greve dos médicos de dias 7 e 8 de Julho e mais informa que continua intransigente na defesa dos serviços de urgência e do Centro de Saúde de Loulé. Tendo em conta que é do conhecimento público que o mês de Julho não contempla nas escalas médicas de serviço o número de médicos suficientes para assegurar com o mínimo de qualidade os cuidados médicos aos doentes das urgências este movimento de cidadãos através de alguns dos seus elementos irá acampar em solidariedade com as justas reivindicações dos médicos em greve à porta do serviço de urgência da cidade de Loulé. Este movimento de cidadãos volta a alertar para a situação de abandono (ainda não resolvida) do Serviço de Urgências Básicas de Loulé devido ao grave conflito de competências entre o responsável máximo do CHA, Dr. Pedro Nunes e o responsável máximo da ARS Algarve, Dr. João Moura dos Reis, o que confere uma irresponsabilidade de tal ordem por parte destes dois organismos máximos da gestão da saúde no Algarve só resolúveis com a demissão de ambos. O Movimento De Cidadãos Em Defesa Dos Serviços Públicos de Saúde De Loulé informa ainda que será intransigente na luta contra o encerramento das urgências de Loulé e na exigência do seu funcionamento a 100% com qualidade total. Este movimento informa que tudo fará para impedir a degradação do Serviço Nacional de Saúde na cidade de Loulé.
O Movimento De Cidadãos Em Defesa Dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé
Ana Catarina Rodrigues, Elsa Frederico, João Serafim, Joel Brito, João Martins
                                                                                             

domingo, julho 06, 2014

Pela Abolição Da PPP Ruinosa Da Via Do Infante



Loulé Protesta Contra A PPP Ruinosa Da Via Do Infante, Sábado, 12 de Julho

Apela-se a todos os louletanos que se juntem ao protesto. Pela abolição da PPP ruinosa da Via do Infante que arruína o nosso presente e hipoteca o nosso futuro.
 

Fascismo, Digo Eu

O que se está a passar este ano com a Fundação de Ciência e Tecnologia (FCT) é absolutamente inacreditável. Para órgãos importantes na definição das orientações setoriais foram nomeadas pessoas sem a qualificação necessária. Depois, as bolsas de investigação foram cortadas dramaticamente, embora a FCT garantisse que dispunha do mesmo nível de financiamento. Agora, da primeira fase de avaliação dos centros de investigação resultou o afastamento de um terço, com decisões escandalosas, quer na ignorância que revelam - caso, na minha própria área académica, do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, CIES-ISCTE (a que não pertenço, mas conheço bem) - quer na súbita inversão de critérios anteriormente estabelecidos pela própria FCT - como Carlos Fiolhais já assinalou no domínio da Física, entre outros. Esta não é uma questão interna da comunidade científica. Em primeiro lugar, a ciência e a tecnologia constituem hoje forças motoras do desenvolvimento económico. Perder aí valor é sacrificar as condições para uma alternativa realista a esta triste sina do empobrecimento para que fomos empurrados. Depois, a investigação fundamental e aplicada constitui uma das áreas em que Portugal mais progrediu nos últimos anos, e mais conseguiu aproximar-se dos padrões europeus. Fazer agora marcha atrás é absurdo e irracional, porque significa desperdiçar o esforço recente e os recursos investidos. Além de que nenhum dos nossos concorrentes ficará parado à nossa espera. Finalmente, pelo menos no que respeita às Humanidades e Ciências Sociais, a sua sistemática desvalorização, por supostamente menos "úteis", a lógica das nomeações para conselhos de topo, a distribuição dos cortes nas bolsas e, agora, as decisões de desclassificação de centros e as respetivas fundamentações, todas têm por base a combinação entre uma enorme ignorância e um claro enviesamento ideológico. Havendo vários outros, o caso do CIES-ISCTE - que é um dos nossos melhores centros de investigação em sociologia - é paradigmático. Um dos argumentos para a miserável classificação que lhe é atribuída é que os estudos sobre migrações e sobre desigualdades sociais (nele, reconhecidamente, áreas fortes) "estão hoje esgotados", quer em termos "locais" quer em termos europeus. E uma pessoa só pode abrir a boca de espanto perante tal alarvidade. Esgotadas hoje, em Portugal ou na Europa, as questões colocadas pelas desigualdades? Pelas migrações? Onde vive esta gente? O problema não está, como alguns dizem, na "ideologia da avaliação". Eu sou do tempo em que a academia vivia fechada sobre si própria, dividida por mandarinatos e paróquias, com pavor de tudo o que fosse inovação, cosmopolitismo e exigência. Posso testemunhar quão sombrio era esse tempo. O problema é a opção política contra a ciência fundamental, contra a análise crítica dos problemas do país, contra o pluralismo teórico, contra a investigação independente. O problema é o propósito político de desviar os recursos da ciência para a subsidiação encapotada de empresas. O problema é a pulsão de gente que é medíocre para destruir o que encontrou bem feito. Tudo isso se transmite depois em cadeia, até acabar nuns tristes avaliadores que falam do que não sabem e se pronunciam sobre o que não estudaram. Prometi que esta coluna obedeceria a um tom de pedagogia cívica. Pois é mesmo esse tom que quero aqui invocar. Desde a iniciativa, há 130 anos, de Oliveira Martins, quando fundou a Biblioteca das Ciências Sociais, que sabemos, ou deveríamos saber, que a produção e disseminação de conhecimento científico e técnico sobre a realidade é uma condição essencial da nossa qualificação como sociedade. Mas o conhecimento é o contrário da ignorância e do preconceito. Se a ignorância e o preconceito tomaram conta da Fundação de Ciência e Tecnologia, como tudo o que ela vem fazendo leva a crer, então é preciso corrê-los de lá.
E já vai tarde.
 

Demita-se Dr. João Moura Dos Reis, Tenha Vergonha

ARS Algarve e o Dr. João Moura dos Reis, responsável máximo, em estado de negação. A responsabilidade pela calamidade do estado da saúde no Algarve qualquer dia é dos doentes, que com certeza não deveriam adoecer. Quanto à falta de vergonha desta gente, não há nenhuma.
 

sexta-feira, julho 04, 2014

Testemunhos - Urgências de Loulé

"Como doente de asma crónica, mãe de filha com asma crónica, tenho a dizer que o encerramento dos serviços de urgência de Loulé pode ditar a vida ou a morte minha e da minha filha. Um concelho tão grande sem serviços de urgência é uma vergonha..."
Erika G.
 

quinta-feira, julho 03, 2014

Marcha Lenta Contra As Portagens Na A22 - Pela Abolição Da PPP Ruinosa Da Via Do Infante e Pelo Derrube Do Governo

Os Utentes da Via do Infante deliberaram. Ao fim de vários anos de protestos da população algarvia e visto que o Governo de Pedro Passos Coelho não acaba com as portagens na Via do Infante, só se vislumbra uma solução, ajudar a acabar com o Governo de Pedro Passos Coelho para assim se pôr fim às portagens. A introdução de portagens no algarve agravou substancialmente a economia da região num contexto de grave crise económica, gerou o caos na EN 125 e está apenas, e só, a engordar a concessionária privada desta PPP ruinosa para o Estado, logo, para os bolsos dos contribuintes. Uma vez que não se vislumbra qualquer vantagem em manter a PPP da Via do Infante, só resta à Comissão de Utentes da Via do Infante apelar a toda a população do Algarve que se junte na exigência da abolição das portagens da Via do Infante. Todos à marcha lenta, Sábado, dia 12 de Julho com partida em Loulé, junto ao Monumento Duarte Pacheco (estátua), pelas 17h30m. Pela abolição da PPP Ruinosa da Via do Infante. Junta-te!
 

quarta-feira, julho 02, 2014

Comunicado de Imprensa – Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé

Comunicado de Imprensa – Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé
Data: 02/07/2014
 
O Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé vem mais uma vez manifestar a sua indignação e denunciar publicamente a falta de médicos no Centro de Saúde de Loulé e nos serviços de Urgência da mesma cidade. Este movimento considera absolutamente inacreditável que os responsáveis da ARS Algarve e do Centro Hospitalar do Algarve se encontrem em estado de negação face à grave situação que se está a passar no Centro de Saúde e nas Urgências de Loulé, onde mais uma vez, hoje, dia 2 de Julho de 2014, devido à falta de médicos, as Urgências tiveram sem funcionar durante um certo período da manhã e os serviços só puderam ser reactivados devido à deslocação de um médico em serviço no Centro de Saúde depois deste ter abandonado o seu posto de trabalho para tapar o buraco destapado nas urgências. Na sequência deste facto tiveram que ser adiadas as consultas que os utentes tinham marcado com esse mesmo médico no Centro de Saúde. Este Movimento de Cidadãos solidariza-se ainda com o senhor Presidente da Câmara Municipal de Loulé que muito dignamente e em protesto, hoje, dia 2 de Julho de 2014, face a esta inaceitável situação foi despachar serviço camarário à porta do Centro de Saúde em defesa do interesse das populações que o elegeram. Mais informa o Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé que lançou uma petição pública em que pede a demissão do Dr. Pedro Nunes, responsável máximo do Centro Hospitalar do Algarve e do Dr. João Moura dos Reis, responsável máximo da ARS Algarve, uma vez que considera que estes gestores não estão a servir os interesses das populações. Terminamos este comunicado com um recado para o Dr. Pedro Nunes. Os Algarvios recusam-se a fazer da “incomodidade” a “normalidade” na saúde do Algarve, Dr. Pedro Nunes. Na saúde e na doença não há espaço para o princípio da incomodidade. O grande incómodo para os serviços públicos de saúde do Algarve é o senhor, Dr. Pedro Nunes, tenha vergonha, demita-se,

Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços Públicos de Saúde de Loulé
Ana Catarina Rodrigues; Elsa Frederico; João Martins; João Serafim; Joel Brito

Romaria Ao Conselho De Administração Do Centro Hospitalar Do Algarve - Comitiva Cidadã Em Defesa Das Urgências De Loulé Pede Explicações A Pedro Nunes Pela Falta De Médicos

Na sequência de mais um dia com falta de médicos nas Urgências de Loulé e por considerar que já se ultrapassaram todos os limites da indecência na má gestão da saúde pública dos louletanos, vai o Movimento de Cidadãos em Defesa dos Serviços de Saúde Públicos de Loulé pedir explicações ao gabinete do Dr. Pedro Nunes, o responsável máximo do Centro Hospitalar do Algarve por uma situação que consideramos já atingir contornos de crime político sobre as populações do Algarve. Este movimento de cidadãos apela à participação da sociedade civil para comparecer neste dia em massa à porta do Conselho de Administração do Centro Hospital do Algarve (Hospital de Faro).
 

terça-feira, julho 01, 2014

Carlos do Carmo



Num país que premeia a mediocridade, o seguidismo e o acriticismo acéfalo haja quem seja reconhecido pelo seu extraordinário valor. Carlos do Carmo.