sábado, dezembro 31, 2011

2012



Em 1973, sob o apoio de uma ditadura recentemente instaurada, os "Chicago Boys" sobre a influência das teorias monetaristas de Milton Friedman implementavam violentamente um programa de "ajustamento estrutural" no Chile que em menos de um ano empobreceu mais de metade da população chilena, condenou para uns bons anos o seu povo à fome e à miséria e destruiu as principais estruturas do Estado Chileno tranferindo a riqueza do país para as mãos de uns poucos abutres da alta finança.

Mais tarde essa receita viria a repetir-se na Argentina e a alargar-se um pouco pela América Latina, por África e pela Ásia dizimando milhões de vidas nos mais variados continentes onde foi aplicada. Sob o comando de orientações ideológicas emanadas de instituições como o FMI, O Banco Mundial e a OMC, o chamado "Consenso de Whashington" arrasou economias por inteiro num fechar de olhos legitimado por pretensas teorias económicas "científicas" e por uma vulgata neoliberal incentivada e reproduzida nas mais prestigiadas escolas de economia e gestão à escala mundial.

Tudo isto que está bem documentado e é bem conhecido no mundo académico das ciências sociais é agora imoralmente repetido em larga escala pelos países europeus sob a batuta da Troika, o mesmo é dizer, pelo Banco Central Europeu, FMI e Comissão Europeia. O que há de novo no contexto Europeu é que esta receita assente na mais completa cegueira politica e ideológica é agora aceite como a solução para o problema (resultante desta mesma receita) com que agora somos confrontados e o facto de isto ser possível de ser aplicado numa das zonas mais ricas do mundo desenvolvido.

Em Portugal, o ministro a que parece que em privado chamam "salazarinho", é um monetarista puro e duro, no pior dos sentidos, uma vez que segue cegamente a cartilha ideológica aprendida nos "livros" da Universidade demonstrando um brutal desconhecimento da realidade económica e social do país. O maior dos perigos, portanto. Não fosse o marxismo o exemplo máximo do desastre deste tipo de "aplicações à realidade" baseados na crença de modelos óptimos de sociedade implementados não poucas vezes à base da mais vil violência não só física mas também simbólica.

É assim que Portugal em 2012 vai passar por uma brutal trajectória de empobrecimento das classes sociais já miseráveis (é de esperar que aumente não só a frequência mas também a intensidade da pobreza), que empobreçam as classes médias a um nível que as mesmas nunca tinham sonhado, que o desemprego continue a bater recordes históricos, que o poder de compra da maior parte da população diminua, que os rendimentos do trabalho atinjam quebras históricas talvez nunca vistas, que a democracia continue a sua trajectória falhada para limites muito próximos de uma ditadura, que a desconfiança face ao poder político aumente para atingir níveis de descrença absolutamente anómicas, que a dívida continue a agriolhar a vida de todo um povo, que a conflitualidade social quebre de vez o mito do povo de "brandos costumes".

Sim, as politicas neoliberais do PS de Sócrates abriram caminho ao desastre social. Os neo-fascistas agora no poder retiraram-nos qualquer réstea de esperança na construção de um mundo melhor.

sexta-feira, dezembro 30, 2011

Ora vamos lá a assinar esta petição pela suspensão de Portagens na A22 em massa...

Petição pela suspensão imediata das portagens na A22/Via Infante de Sagres

Para:
Assembleia da República

Os subscritores da petição abaixo assinada consideram que a decisão política de introdução de portagens na A22/Via Infante de Sagres constituiu um erro histórico de uma gravidade extraordinária para o desenvolvimento económico e social do Algarve. A A22/Via Infante de Sagres foi concebida como uma via estruturante da organização da vida coletiva dos cidadãos que residem e trabalham no Algarve, com vista ao seu desenvolvimento social e económico. Por isso foi construída sem perfil de auto-estrada e fora do modelo de financiamento SCUT, pois mais de dois terços foram pagos pelos fundos comunitários. A A22/Via Infante de Sagres foi construída em alternativa à Estrada Nacional 125, pelo facto de esta constituir uma via litoral altamente urbanizada, de evidente sinistralidade e mortalidade, não podendo agora ser apresentada como de possível requalificação ou constituindo ela própria uma alternativa. O efeito perverso, já expectável antes da introdução desta medida cega de política pública, de deslocação em massa do tráfego rodoviário para a Estrada Nacional 125 vem provocar dificuldades na mobilidade das populações, acrescer exponencialmente os riscos de acidentes rodoviários e de mortes nas estradas algarvias. Os seus resultados serão a degradação acelerada da qualidade de vida de todos os algarvios, o estrangulamento da vida económica e social do Algarve e a deterioração das condições de atratividade turística da região, sector vital da economia do Algarve e uma importante fonte de rendimento de produção da riqueza nacional. Por estas razões, a introdução de portagens no dia 8 de dezembro de 2011 representou um rude golpe na vida dos indivíduos, das famílias e das empresas que, em conjunto, contribuem para o desenvolvimento da economia e da sociedade algarvias. Os subscritores desta petição consideram, ainda, que a decisão de portajar a circulação na A22/Via Infante de Sagres foi tomada ao arrepio da vontade maioritária da população do Algarve e que a medida se insere numa política que parece atuar sem qualquer preocupação pelo interesse público. Esta lógica de governação, contrária aos interesses das pessoas que vivem nos seus territórios, tem tendência a originar a quebra de confiança política dos cidadãos algarvios nos seus representantes eleitos, contribuindo dessa forma para uma deslegitimação do próprio sistema de representação democrática. Assim sendo, os cidadãos e entidades abaixo-assinados exigem que o Governo suspenda de imediato a cobrança de portagens na A22/Via Infante de Sagres. De igual modo, no exercício de direitos legalmente consagrados, solicitam à Assembleia da República que decida discutir esta matéria, propondo ao Governo que corrija a orientação que assumiu neste domínio.

Os signatários
Assinar aqui:

Recordar 2011

Em luta contra o neo-fascismo...



Em luta pela não introdução de portagens na Via do infante



A expressão cada vez mais recorrente em "luta" justifica-se porque os governos de hoje já não são pessoas de bem. Quem opta por governar contra as pessoas não pode depois querer ver como legitima a sua dominação no poder. A luta é pois por um mundo melhor. Contra a inevitabilidade de uma sociedade indecente tal com a que nos querem vender. Em luta pois...

Resistir

quinta-feira, dezembro 29, 2011

Feliz 2012 Para Todos! (Menos para os neo-fascistas que nos governam)





Eu não vou ficar parado a ver a democracia morrer. E não me conformo em viver numa democracia com falhas. Por muito que isso não agrade aos neo-fascistas actualmente no poder. Até para o ano!

Cidadania 2012



Em 2012 mobiliza-te. Exerce a tua cidadania. Protesta. Luta pelos teus direitos. Cumpre os teus deveres. Assina petições. Participa em movimentos sociais. Apoia as Comissões de Utentes de todos os tipos. Inscreve-te nos partidos políticos. Faz pressão sobre os governos autoritários. Faz o teu destino passar pelas tuas acções. Exige uma auditoria à dívida pública. Exige o fim das políticas de austeridade. Sê autor da tua vida e não um mero espectador. Lembra-te que a democracia portuguesa já não é plena e tem falhas. Desconfia de ideias feitas. Questiona a informação dos meios de comunicação de massa. Junta-te aos outros na acção colectiva. Incomoda os poderes instalados. Exige uma melhor democracia local. Recusa a política de empobrecimento. Recusa emigrar à ordem do Estado. Move-te e vais descobrir que não estás sozinho. Só o movimento nos pode levar a sair da crise. E lembra-te, sempre, em todos os minutos, 2012 não vai ser aquilo que nos vende o anúncio da Coca-Cola.

Foto: João Martins, 24 de Novembro de 2011, na manifestação dos indignados.

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Desabafos de fim de ano



1. Há uma certa classe média provinciana que é verdadeiramente intragável. Entre familiares e conhecidos já não suporto mais o discurso vendido mediaticamente que esta gentinha compra com a maior ingenuidade de que "vivemos acima das nossas possibilidades". Para esta espécie de gentinha sem nome a "culpa" da crise é dos funcionários públicos e do Estado Social. Este é também o Portugal que nos trouxe até aqui.

2. A Assembleia Municipal de Loulé através do Bloco de Esquerda levou a votos uma moção pela suspensão das portagens da Via do Infante. A moção foi aprovada com os votos favoráveis do Bloco de Esquerda e do PS e com a abstenção do PSD e do CDS. Execrável este PSD do doutor Emídio.

Foto: João Martins, em 24 de Novembro na manifestação dos indignados.

terça-feira, dezembro 27, 2011

Romper Com A Troika



Entrevista com Éric Toussaint:

O politólogo e professor universitário belga esteve recentemente em Lisboa para ajudar a lançar a Iniciativa por uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública. Experiência não lhe falta. É presidente do Comité para Anulação da Dívida do Terceiro Mundo e fez parte da equipa que realizou, entre 2007 e 2008, a auditoria sobre a origem e destino da dívida pública do Equador, ao serviço do novo Governo de esquerda do país, num processo que levou ao julgamento de vários responsáveis políticos e à decisão unilateral de não pagar parte da dívida equatoriana. Acredita que o mesmo pode acontecer na Europa. Mas isso implica romper com as exigências da troika.

Depois das decisões que saíram da última cimeira europeia, acha que a crise da dívida está próxima do fim?
Esta é uma crise que vai durar 10 ou 15 anos, porque o problema fundamental não é a dívida pública, mas sim os bancos europeus. E não estou a falar dos pequenos bancos portugueses ou gregos. O problema é que os grandes bancos – Deutsche Bank, BNP Paribas, Credit Agricole, Société Generale, Commerzbank, Intesa Sanpaolo, Santander, BBVA – estão à beira do precipício. Isso é muito pouco visível no discurso oficial. Só se fala da crise soberana, quando o problema é a crise privada dos bancos.

Está a referir-se à exposição dos bancos à dívida pública de alguns países do euro?
Não, não é a exposição à dívida soberana, mas sim a derivados tóxicos do subprime [crédito de alto risco]. Está a ocultar-se que todo o conjunto de derivados adquiridos entre 2004 e 2008 continuam nas contas dos bancos, porque são contratos a 5, 10 ou 15 anos. Somente quando o contrato chegar ao fim é que se vai descobrir a amplitude da toxicidade e das perdas, visto que as contas actuais dos bancos mostram esses derivados avaliados, não ao valor de mercado, mas ao valor facial, do contrato. Foram, aliás, esses problemas com os activos tóxicos que geraram os da dívida soberana. Em 2008, quando os bancos deixaram de conceder crédito entre si, o investimento mais seguro era comprar títulos da dívida soberana e os mais rentáveis eram da Grécia, Portugal, Irlanda, Espanha e Itália. Então, os bancos compraram muitos títulos para substituir os derivados que tinham. Agora, têm os dois, porque não conseguiram desfazer-se dos primeiros. Mas é totalmente falso dizer que o problema actual é a dívida soberana. É a soma dos dois.

Há, contudo, uma crise da dívida, que obrigou a Grécia, Portugal e a Irlanda a pedir ajuda. Como é que avalia a resposta que foi dada para estes países com os planos da troika?
Esses planos vão piorar a situação desses países, isso é absolutamente claro. A redução maciça das despesas públicas e do poder de compra da maioria da população vai diminuir a procura e as receitas fiscais e provocar ainda mais necessidade de o país se endividar para pagar a dívida. Tanto a política da troika na Grécia, Irlanda e Portugal, como a política da Comissão Europeia e dos países do Centro, como a Alemanha e a França, vai provocar mais recessão. A própria Alemanha vai ter problemas, porque precisa de ter quem compre os seus produtos.

Qual seria a solução? Uma reestruturação da dívida?
Em Portugal a reestruturação está muito na moda, mas não gosto dessa palavra. Na história da dívida, a reestruturação corresponde a uma operação totalmente controlada pelos credores. Quando o devedor quer tomar a iniciativa, tem de suspender os pagamentos da dívida, para obrigar os credores a sentarem-se à mesa e discutir condições. Uma reestruturação é o que a troika vai fazer na Grécia, impondo um corte de 50% na dívida dos bancos privados, em troca de mais austeridade no país. Contudo, sem redução da dívida à troika, que se tornou o maior credor da Grécia e, ainda por cima, privilegiado, este tipo de reestruturação só alivia de maneira conjuntural o pagamento da dívida. Não é uma solução de verdade.

Que solução seria essa?
Sei que esta ideia está fora do debate público, mas, para mim, se um país quiser sair desta crise, tem de romper com a troika. Tem de dizer: senhores, as condições que nos impõem são injustas e não nos servem a nível económico.

Aqui:
http://economia.publico.pt/Entrevistas/Detalhe/para-sair-da-crise-e-preciso-romper-com-a-troika-e-obrigala-a-renegociar-a-divida_1526489

Foto: João Martins, na manifestação dos indignados de 24 de Novembro.

Terrorismo de Estado

Os automobilistas começaram este mês a pagar portagens nas SCUT, mas, ao contrário do que foi anunciado, a fatura para os contribuintes não só não diminuiu, como disparou 10 mil milhões de euros.

O Estado aceitou pagar aos consórcios privados mais de dez mil milhões de euros nos próximos 30 anos. Mas, na avaliação do TC, as receitas das portagens não chegam para compensar nem metade desses custos, ficando bem longe dos novos encargos assumidos pelo erário público.

Para poder cobrar portagens, o Estado renegociou os contratos com as concessionárias, mas chamou para si a totalidade dos riscos de tráfego. Como as estimativas são irrealistas, e o fluxo de tráfego terá tendência a diminuir com as portagens, os elevados custos do combustível e do próprio ritmo da economia, o Estado encaixará menos receitas mas terá que garantir, na mesma, uma renda fixa às empresas. “As concessionárias passaram a beneficiar de rendas Avultadas”, diz o Tribunal de Contas.

Ver mais aqui: http://www.esquerda.net/artigo/vamos-todos-pagar-para-poder-pagar-portagens-nas-scut

O Santo Doutor Emídio e os amigos Neo-Fascistas actualmente no poder

O santo doutor Emídio (mais conhecido por Seruca Emídio) continua a achar-se um santo emaculado da vida política da Nação. Há semelhança do algarvio doutor Silva, este homem sente ter uma procuração divina que o coloca acima da política e quem sabe acima da própria existência da nação. Numa das últimas sessões de Câmara mandava assim ler para a acta da reunião em resposta à proposta do PS local de baixar os impostos da autarquia: “Os senhores vereadores do Partido Socialista da CML não aprenderam nada com o que se passou com a governação do PS. Continuam a tentar enganar os munícipes com demagogia e promessa de redução de impostos e de boa gestão. Quando a prova em contrário é a situação dramática em que o país se encontra, em grande parte da responsabilidade do PS”. Para o emaculado doutor Emídio não existiu o buraco de milhares de milhões de euros do BPN. A aldeia da Coelha é a passagem para o reino dos céus. A vigarice do Alberto João da Madeira deve de ser do outro lado do mundo. Os submarinos vendidos por curruptos aos inexistentes corrompidos uma miragem alemã e os seus elogios ao Estádio do Algarve um mero devaneio de um dia de Verão.

Para o doutor Emídio os 700 000 euros que diz ter gastado no heliporto para abrigar o helicópetro do INEM que os seus amigos neofascistas retiram agora ao Algarve deve ser coisa do governo de Sócrates. As construções a escassos metros das dunas nas Dunas Douradas são uma invenção minha. As centenas de milhares de euros gastos a abater as árvores da cidade e a "fazer obras" desnecessárias não lhe podem ser concerteza atribuídos. Os milhões a "requalificar" um parque que não necessitava de qualquer tipo de requalificação são uma inspiração divina. O seu consentimento tácito na desastrosa decisão de portajar a Via do Infante protegendo os interesses do partido são meras críticas de má língua. As autorizações de construção em Quarteira em cima de Loulé Velho são políticas de "sustentabilidade". A distribuição de lugares partidários nas produtivas empresas municipais uma mera ilusão de óptica.

Escusa o doutor Emídio escrever ou mandar escrever mensagens de Natal na imprensa escrita que a sua contribuição para o empobrecimento geral da população e o seu carimbo às políticas dos seus amigos neo-fascistas não vão deixar qualquer espaço para boas festas. Faça um favor à população do concelho doutor Emídio, faça as malas da política e regresse à medicina. E mesmo assim não temos garantias de que a sua boa medicina seja um paliativo suficiente à miséria da sua política e da dos seus amigos neo-fascistas.

domingo, dezembro 25, 2011

O Homem Que Mordeu O Cão

Uma mulher de 34 anos, professora, com uma profunda depressão jogou-se de um viaduto com perto de 40 metros de altura com a filha nos braços. A notícia em todo o lado foi a de que a bebé sobreviveu. A mulher e a sua vida submergiram para sempre nas águas profundas das agências noticiosas.

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Feliz Natal Para Todos



Foto: João Martins, 24 de Novembro de 2011

Este Natal não encontrei a Dona Felicidade

Neste Natal de 2011 não tenho razões para estar feliz. O meu país é governado por gente eivada de um espírito fascista. O primeiro ministro faz a apologia do empobrecimento geral e incentiva os professores a emigrar. Os salários estão cada vez mais baixos. A saúde está ao preço do diamante. A escola dos meus filhos degrada-se a passos largos. Os pais parece que vão ser criminalizados pelo mau comportamento dos filhos. A justiça continua de olhos vendados. O exercício da cidadania é vigiado por agentes infiltrados à paisana. O ambiente e a cultura parecem já ter emigrado. As reformas dizem-nos vão passar para metade do seu valor. Os despedimentos vão tornar-se líquidos. A protecção social está ao nível da miséria. O desemprego é um espectro que gera medo em cada virar de esquina. O poder de compra caiu para níveis nunca vistos. As férias vão deixar de o ser. Os feriados perderam a sua história. A minha confiança no poder político está pelas ruas da amargura. A esperança foi erradicada pelo novo dicionário da novilíngua. A comunicação social é manipulada. A democracia antes plena agora tem falhas. O meu valor como pessoa é definido por uma qualquer agência de rating. O poder local é do tamanho da cabeça de um polvo. O futuro dos meus filhos está hipotecado. A minha palavra nada conta. As poucas moedas já não chegam para os meus mendigos. Por todo o lado me dizem que as prendas estão reduzidas ao mínimo. Outros dizem-me que só nos resta fazer sacrifícios. Muitos querem-me convencer que vivi acima das minhas possibilidades. Quem manda deseja-me votos de Feliz Natal. Dom Policarpo diz-me que tudo isto é uma inevitabilidade. Por tudo isto e por aquilo de que já nem me lembro nem tenho sequer força para escrever, vou-vos confessar que não tenho coragem de vos desejar um Feliz Natal. Não me sentiria bem comigo próprio oferecer-vos como prenda a mais profunda hipócrisia. Que entre aqueles que vós amais e entre aqueles que vos amam tenham uma noite de alegria e fraternidade. Eu vou tentar que seja assim.

quinta-feira, dezembro 22, 2011

Do Fascismo Financeiro Austeritário - X

Portugal passou este ano de uma situação de democracia plena para uma democracia com falhas, o que se deve sobretudo à erosão da soberania associada à crise da zona euro, revela o Índice da Democracia 2011 do Economist Intelligence Unit.

O índice, realizado pelo serviço de investigação da revista The Economist, vai na quarta edição e avalia as democracias de 165 estados independentes e dois territórios, colocando-os em quatro categorias: democracias plenas, democracias com falhas, regimes híbridos e regimes autoritários.

Pela primeira vez, Portugal, que desceu do 26.º para o 27.º lugar na lista, surge este ano no grupo das democracias com falhas, depois de em 2010 o mesmo ter acontecido à França, Itália e Grécia.

Mais aqui:
http://sol.sapo.pt/inicio/Politica/Interior.aspx?content_id=36830

Adenda: De início este post intiulou-se "Vai a democracia resistir ao capitalismo?". Mudámos para o título actual que nos pareceu mais adequado.

Qual foi o sentido de voto mais uma vez do PS, do PSD e do CDS sobre as portagens na Via do Infante?



Votem, votem, nos Botas, nos Freitas, nos Macários e nos Emídios. Votem nessa gentinha e feliz Natal para todos vós. O problema é que os outros também sofrem. Esse é o drama.

Foto: Tirada no local e no dia do enterro simbólico da economia do Algarve.

Do Fascismo Financeiro Austeritário IX



Primeira página do jornal Público de ontem: "Despedimentos: indemnizações vão diminuir até 70% face à lei actual".

Primeira página do Diário de Notícias de ontem: "Troika quer "dispensar" 30 mil funcionários públicos até 2014".

Esta semana também, pela primeira vez, um deputado da Assembleia da República, do PCP, chamou os bois pelos nomes e interpelou o senhor ministro Troika, o Ministro das Finanças Vitor Gaspar, afirmando que estamos a assistir a uma certa fascização da economia. É claramente disso que se trata. Há que estabelecer uma relação de adequação entre os nomes e as coisas.

segunda-feira, dezembro 19, 2011

Emigre Senhor Primeiro Ministro, Emigre!



Foto: João Martins, na manifestação dos indignados no dia da greve geral de 24 de Novembro de 2011.

Adenda: Acabo de ver no telejornal que o governo português reduziu drasticamente o número de professores de Português no estrangeiro. A conclusão desta triste história é que o governo quer é ver-se livre dos desempregados, mandá-los para a Sibéria ou para o Tarrafal, sei lá.

Do Fascismo Financeiro Austeritário VII



Vai ser mais rápido e mais fácil despedir. Reforma da lei laboral considerada essencial facilita despedimentos.

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/vai-ser-mais-rapido-e-mais-facil-despedir


Foto: João Martins

Actores, não espectadores

O Ministro das Finanças irlandês disse à imprensa que a Irlanda só fará um referendo sobre o Tratado Europeu se em troca conseguir uma reestruturação da dívida. "Nós vamos pagar as nossas dívidas, mas queremos um longo período de tempo para fazê-lo e para desencalhar a economia.

http://www.esquerda.net/artigo/irlanda-s%C3%B3-aceita-novo-tratado-se-houver-reestrutura%C3%A7%C3%A3o-da-d%C3%ADvida

Vozes do Mundo - Como se fosse a última vez (1941-2011)

domingo, dezembro 18, 2011

A legitimação da miséria é ela própria miserável José!



Aprender a viver com menos "vai ser inevitável", avisa cardeal patriarca.

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2011/12/18/aprender-a-viver-com-menos-vai-ser-inevitavel-avisa-cardeal-patriarca

Do Fascismo Financeiro Austeritário VI



Os professores na Grécia estão preocupados com os vários casos que se têm registado nos últimos meses de alunos que desmaiam nas escolas por fome e desnutrição, e já alertaram as autoridades para o caso.

Aqui:
http://publico.pt/Economia/alunos-gregos-desmaiam-nas-escolas-com-fome-1525527

Do NeoFascismo

A gente sai de casa para comprar o jornal nos dias de hoje e fica com vontade de emigrar. As elites dominantes que nos governam atingiram um estado já não só de estupidez e imbecilidade. O estado das elites que nos governam é de demência total.

Ver aqui:
http://publico.pt/Sociedade/governo-quer-punir-pais-por-mau-comportamento-dos-filhos-na-escola--1525555

Personalidade Do Ano Macloulé: Comissão de Utentes da Via do Infante



Este blogue está em total solidariedade com a Comissão de Utentes da Via do Infante que desde a primeira hora foi intransigente na defesa da não introdução de portagens na Via do Infante. Um exemplo de cidadania na defesa do interesse público das populações, do combate à inercia, às inevitabilidades anunciadas e ao défice de cidadania de que padece boa parte da população algarvia. Um exemplo.

Foto: João Martins

sexta-feira, dezembro 16, 2011

Rostos do Rendimento Social de Inserção



Quem vive acima das suas possibilidades?

Será Verdade Isto Que É Relatado No Blogue Da Serra ao Mar Dr. Seruca Emídio? Para Que Servem As Empresas Municipais No Concelho De Loulé?

Ora leia lá com atenção este post publicado no Blogue da Serra ao Mar em 18 de Setembro de 2011:

(...) Nos tempos que correm, não há margem para este género de “coincidências”. A menos que Seruca Emídio acredite que os louletanos já se esqueceram que o mesmo pôs como director da Infralobo um tio que já estava reformado, e que só saiu de lá aos 80 anos, e que também lá pôs o irmão, João Seruca, que, ao que se sabe, nunca lá pôs os pés. Ou acredite que ninguém sabe que foi ele quem nomeou Possolo Viegas como administrador da Inframoura, depois de deixar de ser vereador, e que antes disso já lá tinha posto a sua filha e o seu irmão, Filipe Viegas, na Infraquinta. Ou acredite que ninguém sabe que foi ele quem escolheu Paulo Bernardo para ocupar o cargo de administrador da Loulé Global quando saiu de vereador e que antes disso também já tinha arranjando emprego para a sua mulher e o seu irmão numa “infra”. Ou acredite que ninguém sabe que ele quem empregou o filho do Horácio Piedade, presidente da junta de São Sebastião e, simultaneamente, chefe do gabinete de Seruca Emídio, na Infraquinta, onde recentemente foi promovido ao cargo de director do departamento de obras, possuindo o curso de professor de matemática. Ou acredite que ninguém sabe que foi ele que empregou a mulher de Eugénio Guerreiro, presidente da junta de Alte, como directora do infantário, gerido pela Loulé Global. Ou acredite que foi ele quem escolheu José Mendes para o cargo de adjunto do presidente e que deste Outubro de 2009, até hoje, não fez, limitando-se a receber o ordenado ao final do mês. E ainda acredite que ninguém sabe que foi por sua inspiração que um dia se lembrou de escolher o Leonel Silva para director municipal, o qual aufere mensalmente um vencimento bruto superior a 4.000 euros mensais, e que pouco mais faz do que “aturar” o Seruca e escrever-lhe os discursos e o artigo para o Correio da Manhã.

Com tantas “asneiras” políticas, a juntar à falta de perfil e de competência de José Graça (a que há ainda que juntar a cumplicidade com todas estas situações durante estes 3 mandatos), ficamos na dúvida se Seruca Emídio não quererá, à semelhança de Joaquim Vairinhos, que o próximo candidato do PSD à Câmara Municipal de Loulé (CML) perca as eleições. Se for essa a sua intenção, saiba que não está a ser original, mas pedimos-lhe que não mude de atitude. Pois quanto mais assim agir, maiores são as probabilidades do seu candidato à CML (José Graça) perder as eleições autárquicas de 2013. E para o bem do nosso concelho, todas as ajudas são bem-vindas.

Post publicado no blogue da Serra ao Mar
Ver tudo completo aqui:
http://www.daserraaomar.com/2011/09/quer-fugir-crise-torne-se-amigo-do.html

Contra o Fascismo Financeiro Austeritário - 21 de Janeiro



Encontramo-nos por lá...

quinta-feira, dezembro 15, 2011

Elevar O Gosto

(Re) Leituras



Escrito nos finais dos anos 90 do século passado estava já lá tudo. A crítica devastadora ao neoliberalismo e à globalização neoliberal. O aviso de que o caminho da Europa financeirizada ia acabar no que acabou. A destruição da mão esquerda do Estado e o crescimento da correlativa mão direita. Os poderosos mecanismos ideológicos de manutenção da dominação através dos media convencionais. Uma leitura obrigatória para que se perceba o desastre neoliberal em que paradoxalmente os governos conservadores ditos de esquerda e de direita teimam em prosseguir nos dias de hoje.

Portagens na A22 - Imagens do Enterro Simbólico da Economia Do Algarve IV



Votem, votem. Continuem a votar nos Macários, nos Botas, nos Emídios, nos Freitas, nos Passos e nos Cavacos. Vão lá a correr às urnas nas próximas eleições. Força lá nisso...

Sejam lá felizes por favor...
http://www.jornaldoalgarve.pt/2011/12/estrada-da-morte-ganha-nova-vida-no-caos/

Foto: João Martins. Tirada no dia do enterro simbólico da economia do Algarve.

quarta-feira, dezembro 14, 2011

Person Of The Year - The Protester

Aqui: http://www.esquerda.net/artigo/indignados-s%C3%A3o-personalidade-de-2011-da-revista-%E2%80%9Ctime%E2%80%9D

Suspensão Das Portagens Em Toda A Época Já: O Algarve Não É Uma Instância Balnear!



A proposta hoje avançada pela Presidente da Associação Empresarial da Região Do Algarve (NERA) é uma proposta de meias tintas que desconsidera a especificidade da região do Algarve. O Algarve não é uma instância balnear e no Algarve há um povo que vive, trabalha e convive os doze meses do ano. Foram as propostas de meias tintas dos políticos de meias tintas que nos trouxeram até aqui. Chega de propostas de meias tintas. Este governo deve cair o mais rapidamente possível e como resultado da sua queda devem ser suspensas as portagens. Isso vai demorar menos tempo do que parece. É tempo de avançar com uma petição para a suspensão de portagens no Algarve já!

Foto: João Martins. Tirada no local e no dia do enterro simbólico da economia do Algarve.

terça-feira, dezembro 13, 2011

Do Fascismo Financeiro Austeritário V



FMI, BCE e CE chantageiam a Grécia. Como o governo Grego não baixa o salário mínimo de 751 euros para 450 euros a Troika fecha a torneira do financiamento. O fascismo está ao rubro. Em Portugal o que vai a Troika exigir ao governo português nos tempos que se aproximam?

Ver aqui:
http://www.agenciafinanceira.iol.pt/dinheiro/grecia-troika-salario-minimo-salarios/1307672-3851.html

Foto: João Martins

Portagens na A22 - Imagens do Enterro Simbólico da Economia Do Algarve - III



Tiros. Face à violência do poder do Estado populares respondem ao tiro ao pórtico na Via do Infante. De nada serviu a megaoperação policial de controlo e vigilância das populações na noite anterior. Os tempos estão conturbados.

Foto: João Martins. Tirada no local do enterro simbólico da economia do Algarve.

segunda-feira, dezembro 12, 2011

Portagens na A22 - Imagens do Enterro Simbólico da Economia do Algarve II



Um dia depois da introdução de portagens na Via do Infante já os jornais nacionais anunciavam o acréscimo de trânsito na Estrada Nacional 125. Não se pense que esse deslocamento tem que ver alguma coisa com cidadania. Trata-se tão só de fazer contas à vida.

Foto: João Martins. Tirada no local do enterro simbólico da economia do Algarve.

domingo, dezembro 11, 2011

Portagens na A22 - Imagens do Enterro Simbólico da Economia do Algarve - I



Foto: João Martins.

PS: Clique em cima da imagem para ler os textos das fotos correspondentes às respectivas figurinhas.

Do Fascismo Financeiro Austeritário IV



Não sei se as elites dominantes da sociedade portuguesa, essas que produzem os discursos dominantes centrados na defesa da austeridade "digna" e "inteligente" se aperceberam da gravidade das decisões que sairam da Cimeira Merkozy desta semana.

Trata-se de mais do mesmo, com a gravidade de se aprofundar desastrosamente o caminho do desastre. A democracia europeia (e nacional) colapsou e a decisão "consensual" de que o défice estrutural de um país não poderá ser superior a 0,5 por cento do produto interno bruto (PIB) nominal significa que a pobreza e o desemprego vão aumentar para níveis nunca vistos e que como dizia muito bem Viriato Soromenho Marques numa excelente entrevista ontem a uma televisão portuguesa, a austeridade é daqui para a frente perpétua.

A Cimeira desta semana foi uma declaração de guerra das elites europeias que governam aos povos europeus. Esperemos que os tempos próximos não sejam os da Primavera Europeia. Não tenho certezas quanto a isso. O barril de pólvora ficou mais aceso do que nunca.

Foto: João Martins, tirada em 24 de Novembro de 2011.

sábado, dezembro 10, 2011

E se em vez da retórica da repartição dos sacrifícios voltassemos a falar de repartição da riqueza?


O nível da desigualdade de rendimento nos países da OCDE nunca foi tão elevado. E Portugal integra o segundo pelotão da frente dos países mais desiguais, juntamente com os Estados Unidos, Turquia, Israel ou Reino Unido. De acordo com os dados publicados no relatório Divided We Stand (OCDE), os 20% mais ricos em Portugal auferem um rendimento 6,1 vezes superior ao dos 20% mais pobres, apresentando um Coeficiente de Gini de 35,3%. No Chile e no México esse rácio atinge as 13 vezes e o Coeficiente de Gini aproxima-se dos 50%. Os países do norte da Europa, a Eslováquia, a República Checa e a Bélgica são os que apresentam valores mais baixos para estas medidas de desigualdade. Um dos resultados surpreendentes deste relatório prende-se, no entanto, com o facto de os níveis de desigualdade dos países do norte da Europa terem aumentado nos últimos anos, acompanhando a tendência que se verificou na maior parte dos países da OCDE.

Fonte: http://observatorio-das-desigualdades.cies.iscte.pt/index.jsp?page=news&id=178

sexta-feira, dezembro 09, 2011

Pagamento de Portagens No Algarve: O Algarvio Mendes Bota Critica Mendes Bota do PSD


Se a hipocrisia política pagasse imposto não seria necessário pagar portagens na Via do Infante. Como não paga é a maior parte da população do Algarve que vai ter que as pagar. É assim que no mesmo dia que se inicia o pagamento de portagens na Via do Infante e umas horas depois do enterro simbólico da economia do Algarve o algarvio Mendes Bota veio criticar o deputado Mendes Bota dizendo publicamente que "hoje é um dia triste na história do Algarve". Para Mendes Bota a esperança agora é a "requalificação da Estrada Nacional 125". Ontem ouvia um deputado novinho do PSD na televisão a debater a introdução de portagens que disse do alto da sua sabedoria (juro que disse) que a Estrada Nacional 125 é uma estrada alternativa como todas as outras. Tenho dúvidas que esse deputado com pouco mais que trinta anos tivesse vindo algum dia ao Algarve. O deputado Mendes Bota que tramou o algarvio Bota, esse, é que não tem qualquer desculpa dotada de validade.


Nota: Foto tirada no dia 7 de Dezembro, no local do enterro simbólico da economia do Algarve

quinta-feira, dezembro 08, 2011

quarta-feira, dezembro 07, 2011

As Portagens Na A22 e o Enterro do Desenvolvimento Económico e Social do Algarve



Movimento Anti-Portagens na Via do Infante realizou enterro simbólico do Algarve

O movimento Anti-Portagens na Via do Infante realizou o enterro simbólico do Algarve. O caixão foi transportado pela comissão de utentes da A22, à entrada de Faro, poucas horas antes da entrada em vigor da medida. Os manifestantes envergaram máscaras com as figuras do Primeiro Ministro ou do Presidente da República, a quem responsabilizam pela introdução de portagens na Região. Os manifestantes falam no enterro do desenvolvimento económico e social da região, com a ameaça de falência de empresas, problemas para o turismo e o aumento da sinistralidade na Nacional 125.

http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?t=Movimento-Anti-Portagens-na-Via-do-Infante-realizou-enterro-simbolico-do-Algarve.rtp&headline=20&visual=9&article=507340&tm=6

terça-feira, dezembro 06, 2011

J' Acuse



Eu enterrei a economia do Algarve!

Sem mim nunca haveria portagens na Via do Infante!


Amanhã às 18 horas - Junto ao Forum Algarve

Aqui: http://www.diarionline.pt/noticia.php?refnoticia=122748

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Do Suicídio Colectivo Austeritário



Agora já não dá para dizer que na Irlanda o austeritarismo está a dar resultado. A Irlanda acaba de anunciar a necessidade de um novo plano de resgate. Em Itália já há plano de austeridade anunciado por um governo não eleito democraticamente. Da Grécia começa-se a falar menos uma vez que agora há mais caos pela Europa de que falar. Portugal está em pleno auge do fascismo financeiro austeritário. A Espanha deve estar por dias. Na Bélgica enquanto não houve governo e governantes não houve austeridade e crise económica que chega agora com a chegada do novo governo e para a França e a Alemanha no coração da Europa a crise das dívidas "soberanas" é uma questão de curta duração.

Um novo fantasma percorre assim o Ocidente. O fantasma do austeritarismo recessivo, resultado de um novo tipo de cegueira ideológica. Ao mesmo tempo assistimos impávidos e serenos à morte da democracia. É caso para gritar. A democracia está a morrer. Viva a democracia! O casal Merkozy comanda suicidariamente os destinos da Europa à margem das mais elementares regras da democracia europeia. A Grécia e a Itália são governadas por tecnocratas da Troika que não passaram pelo sufrágio universal. Os governos seguem fielmente os "mercados" empobrecendo milhões de pessoas em tempo recorde e destruindo as estruturas institucionais de suporte dos países, dos povos e nações.

As novas decisões dessa figura hibrída que é o casal Merkozy no sentido de criminalizar as vitímas da agiotagem internacional são suicidárias para a democracia. Trata-se de uma decisão clara de previligiar o fascismo financeiro austeritário em detrimento das democracias nacionais. Ao mesmo tempo trata-se de uma estratégia clara de manutenção da transferência dos rendimentos do trabalho para o capital. Da linguagem da distribuição da riqueza passamos à "naturalização" da linguagem da repartição dos sacrificios. O empobrecimento na boca dos nossos governantes é agora uma nova virtude moral. Todos vivemos acima das novas possibilidades e é "inevitável" que voltemos ao tempo da sopa dos pobres.

É de um crime contra a humanidade aquilo de que historicamente hoje se trata. É importante julgar em tempos próximos os culpados uma vez que eles têm rosto e estão hoje sentados nos principais orgãos de decisão internacionais e nos governos nacionais. Se deixarmos de viver em democracia não vejo razões para não se considerar legitima uma revolução que a restaure. Se deixarmos de viver em democracia o que nos restará de novo senão uma nova forma de fascismo? Como se podia ler hoje num conceituado blogue nacional: A austeridade liberta.

Foto: Da autoria João Martins do dia 24 de Novembro, dia da manifestação dos indignados e da Greve Geral.

domingo, dezembro 04, 2011

Sócrates: Ganhar ou perder sempre com democracia





Morreu um ícone do futebol brasileiro. Alto, elegante na forma de jogar, capacidade técnica fenomenal, um calcanhar distintivo, o futebol jogado com o cérebro, a liderança personificada na braçadeira de capitão da selecção canarinha. Sócrates fez parte de uma das mais extraordinárias selecções de futebol de todos os tempos. Juntamente com Zico, Falcão, Eder, Júnior e tantos outros entrou pela televisão de minha casa via mundial de 1982 em Espanha tinha eu doze anos de idade ficando a saber desde então que o futebol podia ser mais que um desporto, podendo ser também à sua maneira uma certa forma de arte.

Hoje, muitos anos depois, é perceptível para mim a importância do futebol como fenómeno social total. Fenómeno de massas que atravessa a vida de uma boa parte das sociedades actuais, a experiência de Democracia Corintiana vem demonstrar que o futebol pode ser muito mais do que o ópio do povo e funcionar como um instrumento político e ideológico de emancipação democrática mesmo quando o regime político brasileiro vivia em ditadura. Uma lição de vida e de democracia para o mundo. Obrigado Doutor Sócrates.

Uma Guerra de Classes

Passos Coelho não tem medo de greves e está disposto a travar todas as batalhas para alterar a lei laboral que diz ele "só gera desemprego e precariedade". A luta de classes está ao rubro. Nunca imaginaria eu, que nasci uns poucos anos antes do 25 de Abril de 1974, estar a passos de me transformar num combatente anti-fascista.

Aqui:
http://www.esquerda.net/artigo/pedro-passos-coelho-%E2%80%9Cn%C3%A3o-tenho-medo-de-greves%E2%80%9D

sábado, dezembro 03, 2011

Fará o Ameixial Parte de Portugal?

A Troika, o PSD Algarve e o Doutor Emídio querem trompicar as gentes do Ameixial. Décadas de centralismo e de políticas desastrosas que agravaram despuduradamente as condições de vida das populações do interior do país, agravando-se as assimetrias sociais e as desigualdades sociais entre as zonas do litoral e do interior deixando muitas vezes as populações entregues a si próprias e ao abandono não são suficientes para os políticos actuais no poder pararem as politicas criminosas de desenvolvimento desigual. Pasme-se, na proposta do PSD Algarve divulgada hoje pelo jornal O Algarve não é Quarteira (ia oferecer uma forte resistência e ainda por cima é cor de laranja) mas sim a pobre população indefesa do Ameixial que fica sem representação na freguesia.

O santo doutor Emídio, o PSD Algarve e a direita radical no poder não têm qualquer tipo de escrúpulos. Para além de se diminuir a representatividade local de proximidade numa freguesia já de si abandonada pela autarquia e pelo Estado imagino que é a castração da democracia na freguesia do Ameixial que evitará o país de sair da bancarrota. Não há Troika que justifique tão imoral decisão. Abandonada ainda mais à sua sorte, a pobre e envelhecida população do Ameixial a ficar nas mãos do bom coração católico de um qualquer médico pequeno burguês da província deve concerteza melhorar a sua qualidade de vida. Se a falta de vergonha na política pagasse imposto tenho cá para mim que não seria preciso extinguir nem uma sequer freguesia.

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro - XXVI



Bom fim de semana!

Foto: João Martins

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro XXV



Ainda sobre a suspeita de agentes provocadores infiltrados à paisana ao serviço das políticas do governo com o objectivo de descredibilizar a manifestação de 24 de Novembro, subvertendo dessa forma as regras do Estado de Direito democrático vale a pena sublinhar algumas coisinhas.

Em primeiro lugar, o magnífico facto dos agentes infiltrados ao serviço da provocação pidesca terem sido magnificamente denunciados pelos manifestantes que se comportam, estes sim, como guardiões dos valores basilares da democracia. Numa sociedade com uma certa obsessão do registo do momento é quase impossível não ser fotografado em acto. Este é um sinal interessante dos tempos que correm.

Em cada manifestante há quase sempre uma máquina fotográfica, um vídeo ou um telemóvel. Em jeito de brincadeira, poderia dizer que se em muitos dos eventos sociais de massas se sai para a rua para se ver e ser visto, nas manifestações políticas de massas, para além do objectivo propriamente político de quem se manifesta também se sai para fotografar e ser fotografado. Não há agente "infiltrado" que resista a um movimento deste tipo. A sua acção tem uma elevada probabilidade de acabar por ir parar na blogosfera.

Em segundo lugar o extraordinário poder que têm hoje a blogosfera e as redes sociais. Aquilo que começou por ser uma denúncia nas redes sociais, já saltou para a imprensa (não poucas vezes obrigada a agarrar no acontecimento), já obrigou a declarações da direcção da PSP e quem sabe não acaba com demissões nas altas esferas do Estado. Bem pode Pacheco Pereira desvalorizar estes acontecimentos "menores" que eles já estão a ganhar a dimensão de problema de Estado.

Em terceiro lugar, e o mais importante, estes factos não podem ficar sem averiguação pelas autoridades competentes uma vez que são extraordinariamente graves num Estado que se diz de Direito democrático e a confirmarem-se os factos devem levar à demissão do Director dos polícias provocadores dos polícias e à demissão do senhor Ministro da Administração Interna. Na próxima manifestação já tenho uma nova palavra de ordem: "Eu não sou um agente infiltrado à paisana".

Foto: João Martins

Ver mais aqui: http://5dias.net/

quinta-feira, dezembro 01, 2011

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro - XXIV



O primeiro ministro Passos Coelho é um tipo esperto (no sentido de chico-esperto). Produz medidas politicas austeritárias que levam à recessão da economia, ao empobrecimento de grande parte da população (dou-vos dois anos, talvez nem tanto, para metade da população portuguesa estar em situação de risco de pobreza) e ao desemprego massivo. Depois de acabadinho de aprovar o orçamento de geração da miséria mais absoluta vem dizer às televisões que se as medidas não resultarem terá que combater a austeridade recessiva com mais austeridade recessiva. Como é que tanta boa gente por aí anda caí neste magnífico conto do vigário?

Foto: João Martins

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro - XXIII



Foto: João Martins

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro XXII



Foto: João Martins

Imagens Da Manifestação Em Dia De Greve Geral: Lisboa 24 de Novembro - XXI



E pronto. Aproveite bem o último feriado de 1 de Dezembro. Com a invasão da Troika e a subjugação governamental total ao casal Merkozy talvez não faça mesmo sentido celebrar a restauração da independência. E já agora sugiro que a nova moeda que por aí surja a seguir ao euro não seja o escudo. É que como os nossos governantes não defendem o nosso país talvez também não faça sentido um escudo como moeda. Parece-me melhor plasticina, ou pão de ló, uma coisa dessas por aí. Uma coisa mais penetrável...

Foto: João Martins