quarta-feira, abril 29, 2015

Protesto em Faro, Sábado, 9 de Maio, Pedro Passos Coelho Rua!

Pedro Passos Coelho vai estar em Faro, Sábado, dia 9 de Maio no Teatro Municipal para comemorar os 40 anos do PSD. Apela-se a todos os residentes no Algarve, cidadãos de todos os partidos, sindicatos e movimentos sociais que já não suportam a ruindade do governo PDS/CDS para com os portugueses que se juntem num protesto forte para desalojar Pedro Passos Coelho da cadeira do poder. Porque a política de empobrecimento não pode ficar impune, porque o vandalismo político à nossa dignidade não pode passar sem resistência forte. Todos ao Teatro Municipal de Faro, Sábado, dia 9 de Maio, pelas 18 horas! Está na hora deste governo ir embora!
 

terça-feira, abril 28, 2015

O Polvo Unido, Por Joana Amaral Dias

Definitivamente, PSD, PS e CDS comportam-se como se fossem proprietários do Estado e da Democracia. O último episódio desta malta que se julga Dona Disto Tudo é a tentativa de criar um visto prévio à coberta mediática das campanhas eleitorais. Ou seja, esses partidos pretendiam, agora, controlar a comunicação social e ditar-lhes como podem ou não reportar as campanhas. Nas vésperas do 25 de Abril, queriam o regresso da censura. Para quê? Bom, para poderem continuar a dividir o bolo (ou o que dele resta) e para que, no limite, não haja cobertura mediática da corrida eleitoral (como já não existiu nas europeias, lembre-se) e tudo se mantenha mais ou menos na mesma. Enfim, depois de enterrarem os nossos direitos laborais e sociais e se prepararem para fazer o funeral ao Serviço Nacional de Saúde, bem como à Escola Pública, a partidocracia vigente preparava-se agora para dar um tiro na testa à liberdade de imprensa. Bom, pelo menos fica claro que a Democracia está mesmo em risco. E que isso é o que os une. 

Aqui: 
http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/joana_amaral_dias/detalhe/o_polvo_unido.html

segunda-feira, abril 27, 2015

A Utopia Nunca Fez Mal A Ninguém

Numa discussão animada no facebook um aficionado do PS acaba de me dizer que vão obter a maioria absoluta contra tudo e contra todos. Gosto da ideia. Passem bem.

domingo, abril 26, 2015

aicarcomeD

Depois de se saber que a filha de Salgueiro Maia saiu do país na sequência do apelo de Passos Coelho para os portugueses emigrarem ficamos também a saber que a Escola Prática de Cavalaria de Santarém (de onde partiu o próprio Salgueiro Maia para fazer a revolução de Abril) está ao abandono num estado semelhante ao Estado a Que Isto Chegou. Que melhor metáfora do estado da democracia (?) portuguesa dos dias de hoje?

Vergonha!


Este políticos hipócritas do PS/PSD/CDS de cravo na lapela quiseram implementar o regresso da censura em Portugal e acabar com a liberdade de expressão. Só me oferece dizer uma coisa: Vergonha!

Sobre o Discurso de Cavaco Silva em 25 de Abril de 2015

25 de Abril de 2015. Vou a conduzir. A ouvir rádio no carro. Ouço por coincidência (por coincidência sim, que ouvir certos políticos já faz mal à minha saúde) Cavaco Silva na rádio no discurso das Comemorações do 25 de Abril a defender o Estado Social e os serviços públicos de saúde. Por sorte. Por mera sorte não me despistei na EN 125. Por sorte, há muito tempo que alguém inventou a tecnologia que permite fazer zapping também na rádio.

sábado, abril 25, 2015

Tempos Sombrios

25 de Abril de 2015. Os mercados financeiros governam. O poder político foi capturado pelo poder económico e financeiro. A democracia é hoje um empecilho aos negócios dos especuladores e banqueiros. Grande parte da população portuguesa empobreceu de forma compulsiva. A classe média declinou. O desemprego caminha para níveis  insustentáveis. A emigração ganhou uma expressão superior aos tempos em que se partir a saldo para a Europa. A constituição é insistentemente atacada e violada. A desconfiança dos portugueses para com os partidos e os políticos atingiu valores elevadíssimos. A corrupção está instalada de forma indecorosa no aparelho de Estado. A cunha, o favor e o partido voltaram a ser decisivos na conquista e manutenção do emprego e na promoção social. A mobilidade social é cada vez mais imóvel. Os partidos políticos querem fazer regressar a censura e cercear a liberdade de expressão. O Presidente da República é apenas presidente de uma ínfima parte dos portugueses. O protesto popular de massas tornou-se inconsequente. A Troika governa Portugal, agora, por email ou sms. A senhora Merkel define a política do país. A sociedade portuguesa está esmagada pela austeridade. O medo e a ansiedade castram a capacidade de fazer existir uma qualquer réstia de esperança no futuro. Os partidos do "arco da governação" tudo fazem para castrar o que resta da democracia. O desemprego juvenil e a precariedade eliminam a hipótese de uma vida decente para grande parte dos jovens. Os reformados são violados brutalmente na sua dignidade e espoliados do esforço de uma vida de trabalho. A raiva e o ressentimento juntam-se a um individualismo corrosivo que produz uma sociedade cada vez mais anómica. A democracia está claramente em perigo. É preciso de uma vez por todas, acordar.

25 de Abril Sempre



25 de Abril de 2015. Hoje mais do que nunca é preciso sair à rua para defender a democracia. Até amanhã, nas ruas.

sexta-feira, abril 24, 2015

25 de Abril de 2015, A Democracia Em Risco

Se isto fosse um país com uma cidadania de alta intensidade o PS tinha cometido suicídio colectivo com esta decisão de apoiar o regresso da censura institucionalizada em Portugal. Como não é, foi só mais um pequeno passo para um possível processo de Pasokização em curso. Já não há senhas musicais para fazer sair as tropas dos quartéis mas em compensação temos agora comunicados em defesa da liberdade de expressão. O "arco da governação" é cada vez mais isto. A democracia (se ainda o é) está claramente em perigo. 

Ver mais aqui: 
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/cobertura-jornalistica/comunicado-conjunto-das-direcoes-de-informacao-de-jornais-radios-e-televisoes?utm_campaign=ed-tvi24&utm_source=facebook&utm_medium=social

quinta-feira, abril 23, 2015

Sobre Os Donos Do Sistema Ou Da Merda Em Que Se Transformou O PS 41 Anos Depois De Abril

"Os donos do sistema querem estabelecer que a cobertura de uma campanha eleitoral não pode admitir comentários e opiniões dos cobridores. Concordo. Tudo o que é campanha devia ser tempo de antena e só passar na AR-TV. Aliás, os outros opinadores e comentadores, fora da cobertura, até deveriam ser monopólio dos donos da democracia, em circuito fechado. Ficávamos mais felizes sem liberdade de imprensa e até poderíamos ter uma adequada democracia sem povo."

Lido no facebook de José Adelino Maltez.

terça-feira, abril 21, 2015

Verão Quente de 2015, Contra As Portagens Na Via Do Infante

Neste fim-de-semana esteve reunida em Loulé a Comissão de Utentes da Via do Infante para fazer um balanço sobre as consequências da introdução de portagens na A22 e agendar novas formas de luta anti-portagens.

A principal consequência a retirar é que em 3 anos de portagens, introduzidas pelo governo PSD/CDS, com o apoio do PS, revelaram-se uma autêntica tragédia para a região do Algarve. Devido ao tráfego intenso e por falta de condições, a EN 125 transformou-se, de novo, na “estrada da morte”, como a CUVI alertou na devida altura. Em 3 anos morreram 100 pessoas e foram muitas as centenas de feridos no Algarve em milhares de acidentes, a uma média de 20 acidentes de viação por dia e 600 acidentes por mês – um verdadeiro estado de guerra na região! Neste domingo ocorreu mais um brutal acidente na EN 125 e cujo desfecho trágico foi mais uma vítima mortal e 3 feridos graves! Esta terrível tragédia que se passa no Algarve tem de parar quanto antes e os seus principais responsáveis são os governantes que impuseram as portagens!

Por outro lado as portagens contribuíram para a ruína da economia da região e agravaram as dificuldades sociais de muitas famílias, tendo disparado as falências, os salários em atraso e o desemprego. A requalificação da EN 125 continua a marcar passo e encontra-se cada vez mais degradada, as multas exorbitantes e as penhoras em catadupa pelo não pagamento de portagens transformou-se numa injustiça e num escândalo gritantes. Ainda nesta Páscoa, assistiu-se mais uma vez, a filas intermináveis de veículos junto à fronteira do Guadiana, cujos condutores esperavam a sua vez para proceder aos respetivos pagamentos. Uma vergonha para uma região que vive essencialmente do turismo, uma atividade que devia ser devidamente valorizada e dignificada.

Como se isto não bastasse, a concessionária continua a encher os bolsos com muitos milhões à custa dos contribuintes, transferidos pelo governo, sem dó nem piedade. Falta coragem a Passos Coelho para acabar com as portagens e pôr fim a uma PPP deveras ruinosa para o Algave (e o país). Mas já não lhe falta a vergonha para continuar a cortar nos salários, subsídios e pensões dos cidadãos deste país!

A Comissão de Utentes da Via do Infante reafirma, mais uma vez, que as portagens não têm solução e estão condenadas no Algarve. Os principais responsáveis políticos, em particular do Algarve, do PSD, do CDS/PP e também do PS, devem decidir de vez de que lado se encontram – continuar contra o Algarve e os algarvios mantendo as portagens, ou a a favor da região, posicionando-se pela suspensão imediata das portagens. Agora já não têm a desculpa da troika.

Para o verão que se aproxima, a CUVI agendou um conjunto de ações pela abolição das portagens na A22, no âmbito de uma “Jornada de Luta/Verão 2015”. As principais ações são as seguintes:
– foi enviada nesta segunda-feira uma carta ao Secretário-Geral do Partido Socialista a solicitar uma audiência, com caráter de urgência, para tratar das portagens, das suas consequências e do seu futuro no Algarve;
– uma marcha lenta de viaturas na EN 125 no dia 23 de maio, com colocação de um memorial e assinalar um momento de silêncio num local onde ocorreram vítimas mortais – oportunamente serão divulgados os pormenores desta ação;
– uma nova ação contra a “estrada da morte”, na EN 125, no dia 4 de julho, divulgando-se publicamente os pormenores mais tarde;
– participação da CUVI na concentração e desfile do Moto – Clube de Faro, este verão;
– em agosto a Comissão de Utentes vai deslocar-se de novo à Aldeia da Coelha para fazer o despedimento/despedida do Presidente da República, pois este é o último ano que Cavaco Silva será Presidente da República e os algarvios não esquecem as suas responsabilidades na imposição das portagens;
– ainda em agosto a CUVI desloca-se de novo à Praia da Manta Rota, onde fará uma acampada para desalojar Passos Coelho da sua casa de férias;
– a CUVI irá marcar de novo uma forte presença na Festa do Pontal, relembrando ao 1º Ministro e aos seus ministros e amigos que a luta contra as portagens continua mais forte do que nunca, fazendo-lhes recordar as suas responsabilidades na tragédia do Algarve e que continuam “personas non gratas” nesta região.

Para esta forte jornada de luta anti-portagens, a Comissão de Utentes irá procurar o apoio e juntar forças com diversas personalidades e entidades e com outros movimentos sociais, como o “Movimento Algave Sem Portagens” e o “Movimento Je Suis Ilhéu” que luta contra as demolições nas ilhas barreira da Ria Formosa. A Comissão de Utentes encontra-se no preciso momento a envidar esforços para ampliar o movimento de contestação às portagens nas Scut’s e contra as penhoras a nível nacional, em articulação com o “Movimento Anti – SCUTS”. O êxito da luta depende da sua força, determinação e ampliação. Todos na luta seremos muitos!

Mais informação aqui:
http://www.sulinformacao.pt/2015/04/ativistas-anti-portagens-na-a22-anunciam-novos-protestos-para-os-proximos-meses/

domingo, abril 19, 2015

sábado, abril 18, 2015

Mariano Gago (1948-2015)

Morreu Mariano Gago. Um homem a quem o sistema científico actual em Portugal muito deve. Se pudesse nomear um político que contribuiu decisivamente para o que de melhor se faz em Portugal não hesitaria em nomear Mariano Gago.
 

quinta-feira, abril 16, 2015

É Melhor A Gente Rir Para Não Chorar

Intenções de voto (sem coligação PSD/CDS):
PS: 36,9% | PSD: 30,5% | CDU: 9,2% | Outros: 8,4% | CDS: 6,0% | PDR: 3,8% | BE: 3,5% | Livre: 1,7%
 

Um Seboso Anti-Comunista

"Este autêntico seboso, de nome Fernando Leal da Costa, acha que a reportagem da TVI, que faz um retrato sinistro das urgências hospitalares, mostra que “os Serviços de Urgência em Portugal funcionam muito bem”. No entender desta besta, que devia ter sido conhecido enquanto Hans Ruegi Giger era vivo para o inspirar na criação de um mostrengo de quatro cabeças, o problema é da ideologia dos médicos que fizeram as denúncias que, à boa moda da caça às bruxas, é tudo obra de um bando de comunistas. Este filhodaputa tem mesmo que ser avisado desta maneira."

terça-feira, abril 14, 2015

domingo, abril 12, 2015

Austeridade e Democracia

Desde o início desta trágica história que o defendi claramente aqui no blogue macloulé. E fiz dessa afirmação a luta de uma vida, em nome da geração dos meus filhos. Para quem ainda não se apercebeu porque anda distraído com coisas mais importantes, a austeridade não é compatível com a democracia. Melhor ainda, ela é a legitimação perfeita para acabar com ela. Está quase. Estamos no fim da linha.
 
 
 

sexta-feira, abril 10, 2015

Assassinato de Carácter

Eu que me habituei a admirar António Nóvoa a partir da leitura da sua produção científica não deixo de estar espantado com esta tentativa política de assassinato de carácter. A incompetência política não suporta hoje qualquer tipo de competência de que género for se isso se atravessar à frente dos seus interesses. A ruína moral da nação (que me desculpem a generalização abusiva) também passa por aqui.
 

A Morte Saiu À Rua Na EN 125

´
Para quem não sabe o Diogo ainda era da família da minha mulher. Morreu na EN 125. Porque não trava o poder político algarvio esta hecatombe de uma vez por todas pondo fim às portagens na Via do Infante? Vale tudo, em nome do dinheiro?

quarta-feira, abril 08, 2015

Os Argumentos do Dr. Vítor Seruca Emídio Aleixo

Parece que o Dr. Vítor Aleixo justifica as negociatas ali para o lado de Vilamoura com efeitos positivos esperados na diminuição da taxa de desemprego. Aliás, o mesmo argumento utilizado para a aprovação da megaestrutura do IKEA. O PS Loulé, é hoje, à semelhança do PS nacional, uma central de negócios.
 

O PS Loulé É Hoje Uma Central de Negócios

"A venda de Vilamoura pode representar um momento de viragem para o concelho e para o Algarve", disse ao Dinheiro Vivo o presidente da câmara de Loulé, concelho onde fica situado o grande complexo turístico que é Vilamoura. Para Vítor Aleixo, esta transação vai permitir "reorganizar" a oferta e, mais importante, "pode significar uma retoma da atividade económica com uma melhoria do nível de empregabilidade. Temos hoje taxas de desemprego muito significativas", admitiu."
 

Portugal Está A Saque

Portugal conseguiu o feito inédito de mais depressa vender  Vilamoura do que os gregos o porto de Piréu. Eu que pensava que Vilamoura era domínio público do Concelho de Loulé e que o que é do domínio e do interesse público não podia assim ser vendido ao desbarato mais uma vez nas costas dos cidadãos. O Dr. Vítor Aleixo e o seu vereador moço pequeno ainda não devem ter dado por nada e nem sequer terão com certeza a intenção de vir explicar a quem cá habita de que forma este negócio se cruza (ou não) com a violação do interesse público. Se a concessão da Marina esteve em jogo, é óbvio que a Câmara Municipal de Loulé não podia entrar (consentir?) neste negócio à revelia dos cidadãos. Mas não é nada que me surpreenda pois já aqui tinha avisado que as negociatas entre a política e os negócios andavam ao mais alto nível ali para os lados de Vilamoura nesta segunda década do século XXI. Dos partidos da oposição nem uma mera pergunta em Assembleia Municipal que seja. O PCP não existe em Loulé. O Bloco de Esquerda está sempre com quem está e a direita rançosa vê estes negócios como o expoente máximo da política. O feudalismo está instalado. O fosso entre os cidadãos e os partidos tem neste exemplo a sua máxima separação. Portugal está a saque.

http://www.noticiasaominuto.com/economia/371606/vilamoura-agora-e-dos-americanos-foi-vendida-a-preco-de-saldo

segunda-feira, abril 06, 2015

A Nobreza Da Corte E O Povo

Ao fim de quatro anos de roubo, humilhação, empobrecimento, destruição dos serviços públicos de saúde, educação e protecção social, os partidos do "arco da governação" entretêm-se, com a alta conivência dos media, com a querela de quem é o próximo candidato a Presidente da República no ano 2016. Nada mais elucidativo da preocupação dos políticos com as condições de vida do seu povo.

sábado, abril 04, 2015

Sobre O Lixo Político Algarvio

"A propósito das longas filas de turistas na fronteira do Guadiana, à espera de vez para pagar portagens, deixem-me dar-vos uma notícia em primeira mão: na passada quarta-feira, às 9 horas da manhã, a Comissão Parlamentar de Economia tinha que discutir a admissão de uma petição assinada por mais de 6.500 algarvios que exigia o fim das portagens. Dos deputados eleitos pelo Algarve só lá estava eu. O PS, PSD e CDS recusaram a admissão desta petição, pelo que ela foi arquivada. O PCP votou a favor da admissão da petição. Tínhamos, mais uma vez, a oportunidade de discutir a abolição das portagens, em plenário da AR. Mas o PS, PSD e CDS não deixaram, desrespeitando 6.500 algarvios que assinaram a petição. Depois os deputados destes 3 partidos eleitos pelo Algarve vêm para cá chorar lágrimas de crocodilo por causa do prejuízo para a economia regional e para o turismo. Já agora, o PCP apresentou 8 vezes na AR propostas para a abolição das portagens. Foram todas chumbadas pelo PS, PSD e CDS, incluindo os deputados destes 3 partidos eleitos pelo Algarve. Só há portagens, porque o PS, PSD e CDS as querem manter."
 
Texto do deputado Paulo Sá, uma rara e saudável excepção a destoar do lixo político algarvio. Publicado no seu facebook.

Ensaio Sobre A Lucidez

Crise do euro, crise do social-liberalismo
 
António Costa renunciou à presidência da Câmara Municipal de Lisboa para ocupar a tempo inteiro as funções de secretário-geral do PS. Não falta quem diga que a afirmação do partido nas sondagens foi prejudicada pelo atraso nesta decisão. Porém, há algo de mais profundo que escapa ao folclore dos noticiários, algo que liga episódios tão diversos como a pesada derrota do PS na Madeira, o descalabro do PS francês, o declínio do PSOE em Espanha e a crise do Partido Democrático italiano, para não falar do desaparecimento do PASOK na Grécia. Salta à vista que a crise da zona euro é também a crise da social-democracia europeia, na sua versão social-liberal, após Mitterrand ter substituído o socialismo democrático pelo europeísmo ordoliberal. Antes de mais, o confronto entre o governo grego e a troika (agora “Grupo de Bruxelas”) clarificou os limites da tolerância dos nossos credores relativamente à política orçamental e não deixou dúvidas quanto ao que se deve entender por “reformas estruturais” a promover nos países da zona euro, sobretudo na periferia endividada. É relativamente às reformas no sistema de pensões e à legislação laboral que se trava um braço-de-ferro nas negociações com o governo grego, ao mesmo tempo que este é sufocado financeiramente pelo BCE. Qualquer que seja a escolha do governo liderado por Alexis Tsipras, ruptura ou capitulação, uma coisa é certa: a social-democracia europeia participou neste processo de chantagem sobre um governo com programa social-democrata que foi legitimado pelo voto para suspender as medidas de austeridade. Como há muito viu Dani Rodrik (“Greek Elections, Democracy, Political Trilemma, and all that”), a integração económico-financeira supranacional é incompatível com o exercício da democracia. António Costa sabe que não pode prometer aos portugueses outra política económica, ou sequer um modelo de desenvolvimento com alguma fundamentação realista. Os portugueses vão percebendo que afinal não há luz ao fundo do túnel, e isso vê-se nas sondagens. Depois, mesmo que o impacto da saída da Grécia seja contido pela intervenção enérgica do BCE nos mercados financeiros, a sobrevivência da zona euro está longe de garantida. Com a proibição da política orçamental, mesmo com o desemprego ao nível da Grande Depressão, não há instrumentos de política económica que permitam enfrentar a gravíssima crise de procura produzida pelo fim do endividamento externo fácil da periferia. Antes de a crise de 2008 atingir a Europa, na ausência do risco de desvalorização com a adopção do euro, os spreads das taxas de juro quase desapareceram, pelo que o crédito dos países ricos se tornou muito acessível aos bancos dos países menos desenvolvidos. Por conseguinte, a financeirização das periferias foi obra conjunta de credores e devedores e, embora os bancos credores tenham até agora sido poupados aos prejuízos decorrentes dos elevados riscos que assumiram, isso não significa que os seus países consigam escapar aos efeitos da bancarrota que ajudaram a criar. António Costa e a sua equipa de economistas deviam meditar nestas palavras de Michael Pettis: “Depois de muitos anos a negar a insolvência, e muitos anos de promessas de que as reformas seriam implementadas e conduziriam a um crescimento suficiente para resolver o endividamento, os decisores políticos de países como Espanha serão forçados a mudar de posição ou serão demitidos pelo voto – simplesmente porque as condições económicas se terão deteriorado tão drasticamente que uma reestruturação não poderá ser adiada por mais tempo.” (“When do we decide that Europe must restructure much of its debt?”). Assim, os partidos do social-liberalismo da periferia estão confrontados com um dilema vital: renegar a moeda única para recuperar a política económica da esquerda, ou desaparecer como corrente política relevante. Do meu ponto de vista, a ideologia social-liberal, e os interesses que envolvem estes partidos, impedem o reconhecimento do dilema tornando-os irreformáveis. Este é o drama da social-democracia europeísta.
 
Por Jorge Bateira

quarta-feira, abril 01, 2015

Notícia de Última Hora, Macloulé

Última hora: Estado Islâmico ocupa o castelo de Loulé. O pânico é geral e o Dr. Vítor Aleixo refugiou-se na sede do PSD à espera de reforços para defender a cidade dos bárbaros. Antes de entrar pela porta avisou, comigo em Loulé ninguém ficará para trás. Ao telefone com a tsf o presidente das comemorações dos 41 anos do 25 de Abril desdramatizou o ataque, salientando que enquanto Cavaco Silva for Presidente da República, Portugal nunca deixará de ser uma nação. Deixou também uma senha aos portugueses, na forma de uma estranha mensagem: 1 de Abril sempre, fascismo nunca mais.