domingo, julho 03, 2016

Nota de Imprensa – Movimento Algarve Livre de Petróleo

Nota de Imprensa – Movimento Algarve Livre de Petróleo
Data: Loulé, 01/07/2016
Assunto: Nota de indignação com a votação na Assembleia da República que impede a suspensão dos contratos de petróleo e gás nas regiões do Algarve e Alentejo
...
O Movimento Algarve Livre de Petróleo (MALP) vem por este meio informar que lamenta profundamente a oportunidade perdida pelos senhores deputados da Nação de suspenderem de uma vez por todas a exploração de petróleo e gás nas regiões do Alentejo e Algarve em resultado das votações dos Projectos de Resolução apresentados pelos Verdes, pelo PAN e pelo Bloco de Esquerda na Sexta-Feira, dia 1 de Julho.
PS, PSD, CDS e PCP chumbaram a possibilidade de se suspender os contratos de exploração de petróleo no Algarve já concretizados votando contra o ponto 2 do Projecto de Resolução do Bloco de Esquerda "2. Suspender imediatamente todos os contratos relativos à exploração de hidrocarbonetos no Algarve." Foi também chumbado o Projecto de Resolução dos Verdes que pedia a suspensão dos contratos assinados com as petrolíferas no sul do país e que agora podem continuar a fazer o seu caminho.
O MALP considera que a recomendação da suspensão da exploração de petróleo no Algarve aprovada não passa de uma operação de cosmética por parte do poder político favorável às petrolíferas uma vez que os contratos continuam em vigor em consequência do resultado desta votação.
O Movimento Algarve Livre de Petróleo anuncia desde já a intensificação da luta contra a exploração de petróleo e gás no Algarve e informa que estará presente na manifestação de dia 21 de Julho, em Loulé, para entregar uma carta em mãos ao Senhor Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, no sentido de interceder junto do Governo de António Costa para acabar de vez com o absurdo da hipótese da exploração de petróleo e gás na região do Algarve. Prometeram-nos um tempo novo e derramam-nos petróleo em cima. Inaceitável.
P´lo Movimento Algarve Livre de Petróleo
João Eduardo Martins

Sem comentários: