terça-feira, janeiro 23, 2018

Sobre O Petróleo No Algarve E O Lixo Governativo Socialista

João Eduardo Martins explicou que num primeiro momento, houve uma consulta pública na qual mais de 40.000 pessoas mostraram a sua objeção e que "foi desrespeitada e jogada ao caixote do lixo, tendo o governo decidido permitir a prospeção de petróleo". "Depois, num segundo momento a Assembleia da República legislou no sentido de serem consultadas as autarquias. As autarquias deram parecer negativo ao prolongamento do prazo da prospeção de petróleo ao largo e mais uma vez o Governo voltou a ignorar"
 

Sem comentários:

Enviar um comentário