domingo, janeiro 21, 2018

Comunicado de Imprensa - Movimento Algarve Livre de Petróleo

Comunicado de Imprensa – Movimento Algarve Livre de Petróleo
 
Assunto: Repúdio público pela autorização da prospecção e exploração de petróleo nas regiões do Algarve e Alentejo

 Data: 21 de Janeiro de 2018
 
O grupo de cidadãos que constitui o Movimento Algarve Livre de Petróleo vem por este meio repudiar publicamente a autorização do prolongamento do prazo de prospeção e exploração de petróleo na costa litoral do Algarve e do Alentejo pelo Governo da Geringonça liderado pelo Dr. António Costa. Esta autorização, à revelia das mais de 40 mil objeções de cidadãos resultantes de consulta pública e dos pareceres negativos das autarquias, revela uma profunda falta de cultura democrática do Governo actualmente no poder que prefere claramente a aliança com as petrolíferas em detrimento da preservação sustentável do território do Algarve. O Governo de António Costa não só jogou para o caixote do lixo o resultado da consulta pública aos cidadãos, como agora fez o mesmo com os pareceres negativos dos autarcas à solicitação do prolongamento do prazo para a prospeção de petróleo. O Movimento Algarve Livre de Petróleo (MALP) espera agora que o Ministério do Ambiente faça o que lhe compete e ponha a defesa do ambiente à frente dos interesses do poder do dinheiro e das petrolíferas. O MALP apela também ao senhor Presidente Marcelo Rebelo de Sousa que interceda junto do senhor Primeiro-Ministro António Costa para travar o escancarar de portas às empresas petrolíferas numa região turística de excelência, para que se priorize o desenvolvimento sustentável do Algarve e para que não se possa vir a dizer num tempo breve que afinal é mais fácil explorar petróleo no Algarve do que o senhor Presidente Marcelo ir à Lua. O Movimento Algarve Livre de Petróleo repudia também o voto de confiança dado pelo Senhor Secretário da Energia, Jorge Seguro Sanches, ao consórcio petrolífero ENI/GALP, quando se sabe que o actual Presidente da GALP, Carlos Lopes da Silva é arguido no caso das viagens pagas pela petrolífera GALP a membros do Governo de António Costa. O MALP considera que esta decisão vem agravar ainda mais a desconfiança dos cidadãos face aos políticos e vem contribuir ainda mais para a degradação da qualidade da democracia portuguesa.
 
O Movimento Algarve Livre de Petróleo

Sem comentários:

Enviar um comentário