domingo, janeiro 28, 2018

Políticos Com As Mãos Sujas De Petróleo No Algarve

Faz hoje 20 dias desde que neste ano de 2018 foi autorizada a prospecção e exploração de petróleo no Algarve, ao largo de Aljezur, pelo governo Socialista de António Costa. Os partidos parceiros da Geringonça continuam em silêncio. Do Bloco de Esquerda, do PCP e dos Verdes (é isto um partido ecologista?) não se ouviu uma palavra, uma crítica, uma justificação que seja, sobre o bullying político e a opressão constante deste governo sobre as populações do Algarve. O PSD reagiu com uma crítica forte mas todos sabemos em que resultam essas críticas a partir da experiência política em torno das portagens da Via do Infante. Do CDS não se espera nada. E o PAN já fecha os olhos à possível extínção e migração de golfinhos e aves resultantes da intervenção das petrolíferas. Os autarcas estão calados e da Comunidade Intermunicipal do Algarve não se dá notícia. O diferendo em tribunal com as petrolíferas foi indeferido e disso soubemos por uma notícia de jornal. Dos grupos, associações e movimentos sociais e ambientais reagiu o Stop Petróleo Vila do Bispo, o MALP, a Zero, a SPEA e a PALP, esta última através de declarações de um dos seus elementos aos jornalistas. Uma parte dos grupos, associações e movimentos ambientais mantém-se misteriosamente em silêncio agora que se sabe o nível de canalhice opressiva a que pode chegar o Governo do Dr. António Costa. Fosse Donald Trump a tomar uma decisão destas e cairia o Carmo e a Trindade nas ruas. Como se trata do Dr. TrumpAntónio tudo lhe é permitido. O Futuro Limpo é uma miragem. É a sujidade que reina por estes dias. Sujidade política e ambiental.

Sem comentários:

Enviar um comentário