domingo, novembro 08, 2015

Quem Faz O Que Pode A Mais Não É Obrigado, Carpe Diem


Foram quatro anos intensos de luta. Da minha parte a consciência está tranquila. Fiz o que tinha que fazer em defesa da dignidade perdida. Ganhei muitos inimigos à esquerda  e à direita. Fui identificado vezes sem conta pela polícia. Rotulado de louco. Ameaçado de morte. Apelidado de perigoso comunista. Maltratado pelos políticos locais de todos os quadrantes. Humilhado. Gozado. Ostracizado. Estou vivo e de pé. Infelizmente com menor saúde. Sim, a violência governativa e de Estado entranhou-se nas subjectividades profundas do âmago individual e afectou de forma profunda a saúde dos cidadãos. A malfeitoria foi total. A luta continua. Não se atrevam a continuar a pôr em causa a nossa dignidade. Sairemos para a rua para enfrentar todo o tipo de tirania as vezes que forem preciso. Carpe Diem.

Sem comentários:

Enviar um comentário