quarta-feira, novembro 11, 2015

Emigrem, Filhos Da Fruta

Emigrem Filhos Da Fruta
 
Chamaram-nos piegas. Disseram-nos que tínhamos que emigrar. Tentaram-nos convencer que o desemprego é uma oportunidade. Disseram-nos que para o nosso país se desenvolver tínhamos quase todos que empobrecer. Dizem-nos em cada minuto que passa que vivemos acima das nossas possibilidades. Cortaram-nos os nossos já míseros salários. Roubaram-nos os subsídios de Férias e de Natal. Encolheram o nosso direito ao descanso acabando com feriados que fazem parte... da alma da Nação. Privatizam o oxigénio. Destroem o Estado Social atacando ferozmente a Saúde, a Educação e a Protecção Social dos Portugueses. Aumentam brutalmente os impostos sobre os indivíduos e as empresas. Facilitam os despedimentos e encolhem a protecção social no desemprego. Dizem-nos que os nossos salários, já dos mais baixos da União Europeia, têm que baixar para sermos mais competitivos. Tentam convencer-nos que a austeridade é a cura para os efeitos desastrosos da austeridade. Dizem-nos que tudo isto é uma inevitabilidade. Que a culpa é nossa porque somos preguiçosos.
 
O rol de asneiras ministeriais não tem fim. É preciso dizer basta. Temos que mostrar a esta gente que nos (des) governa que não nos merece. Que são eles que têm que emigrar. Que o nosso esforço e o nosso mérito naquilo que conquistámos na vida não foi feito à imagem de um Relvas qualquer. Que quem nunca fez nada na vida foram eles que apenas viveram dos favores dos partidos. Que este país tem futuro. Que o futuro não pode existir sem auditar publicamente uma dívida que nos condena à escravidão. Que se o euro nos destrói a vida nós não temos problemas em trocá-lo por uma moeda que nos dê vida. Que a dignidade não pode estar cotada em bolsa. Que é aqui e agora que resgatamos a nossa vida a quem nos quer tirar a vida.
 
Temos todos que sair de novo à rua e mostrar a esta gentinha que se eles não mudam de políticas nós só temos o remédio de os fazer mudar de vida. Mandaram-nos emigrar dizendo-nos descaradamente que não tínhamos lugar no nosso país. Mas nós sabemos bem que a solução para Portugal só tem um primeiro passo com a emigração deste governo. Só a rua pode trazer esperança a um futuro decente para todos nós. O sistema político como ele funciona actualmente não é regenerável. É preciso sair à rua e gritar alto e com bom som, emigrem vocês filhos da fruta!
 
João Martins (Lido em 15 de Setembro de 2012 em frente à porta do Mercado Municipal de Loulé naquela que talvez tenha sido a maior manifestação política que Loulé já conheceu. Fez-se História).

Sem comentários: