quarta-feira, junho 10, 2015

Morreu O Luís Patrão

Morreu o Luís Patrão. Não conheço o Luís Patrão mas é um ser humano como qualquer um de nós. Suicidou-se. Enforcou-se na paragem dos autocarros em Quarteira. Era sem-abrigo. Dormia na rua. Um jornal local imediatamente associou o suicídio do Luís Patrão à austeridade brutal e doentia implementada pelo governo. Fez bem. A austeridade mata. Mas existe uma autarquia que tem que estar atenta aos problemas da cidade e uma junta de freguesia que deve prestar serviços de proximidade. Políticos como deve de ser e políticas decentes já estariam a esta hora a fazer um levantamento dos sem-abrigo do concelho e a elaborar um plano para tirar as pessoas da rua. Não vale a pena vir com o discurso do costume de uma certa visão romântica de que os sem-abrigo vivem na rua porque assim querem viver. Isso não passa da activação do mecanismo da transformação da vítima em culpado. Um só que fosse tirado da rua era uma vitória da dignidade. Um só.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário