terça-feira, outubro 10, 2017

Para Conhecimento Público

Exma Senhora Professora Dulce Rodrigues,
Directora de Turma do 7º F
 
Venho por este meio informá-la que o meu educando Pedro Eduardo Frederico Martins foi novamente agredido (ficou com a marca dos dedos do agressor na cara) no interior da escola, esta Terça-Feira, dia 10/10/2017, por um aluno de seu nome, João Junior. Um grupo de alunos estava a competir entre si a ver quem é que agredia o maior numero de vítimas.
Na Segunda-Feira, dia 09 de Outubro de 2017, tive que ir com o Pedro a uma consulta médica especializada que me custou 105 euros na sequência da agressão por outro aluno, no primeiro dia de aulas, que lhe torceu o pulso.
Neste momento, a selva escolar que constitui o agrupamento de escolas Padre João Coelho Cabanita está a colocar em causa a integridade física, psicológica e o bem estar do meu filho e face à negligência da direcção da escola, da divisão de Educação da Câmara Municipal de Loulé, que não cuidam do problema da violência escolar neste agrupamento (não vão mesmo contratar pessoal para vigiar e animar os espaços de recreio da escola?) já nem sabemos a quem recorrer para travar este historial de violência.
Numa organização onde impera a selva e o salve-se quem puder não me responsabilizo neste momento pelas reacções que o meu filho Pedro possa ter em situações de agressão futura e eu próprio vou começar a treinar boxe cá por casa pois nunca se sabe a que ponto estas condutas podem chegar. A direcção da escola e as instituições concelhias responsáveis não ouvem, não escutam e aparentemente não querem saber. O que vou eu como encarregado de educação fazer na próxima vez que agredirem o Pedro?

Com os melhores cumprimentos
João Eduardo Martins

PS: Agradeço que a Professora Dulce Rodrigues reenvie esta mensagem para o director do Agrupamento.

Sem comentários:

Enviar um comentário