quarta-feira, julho 05, 2017

Os Neoliberais De Esquerda

Quatro anos de intervenção da Troika e do ir além da Troika, de Passos Coelho e Portas, levaram o Estado Português quase ao colapso. O ultraliberalismo da direita radical aumentou brutalmente a pobreza e as desigualdades sociais em Portugal, quase dizimou o sistema de saúde público, delapidou a educação pública, arruinou o Estado Social. Roubo de salários, de subsídios de férias e de Natal, cortes dantescos na Administração Pública, puseram o já frágil Estado Social em cacos. Derrotado Costa nas eleições, a única hipótese de se manter no poder foi a aliança com as suas esquerdas, Bloco de Esquerda, PCP e PEV e a criação do que Vasco Pulido Valente veio a designar, na sua feliz expressão, de "geringonça". Costa decidiu suicidar-se (e arrastar consigo as esquerdas para o precipício) com ideia de fazer a Quadratura do Círculo. Obedecer a Bruxelas e cumprir o Tratado Orçamental, por um lado, prosseguindo as políticas da direita radical por outras vias, e repor salários, reformas e alguns direitos sociais, anteriormente vandalizados, para submeter a si as suas esquerdas, por outro lado. A sua estratégia de sucesso é um desastre para Portugal e para os portugueses. Ao decidir fazer austeridade por outras vias, Costa arruinou o que ainda resta do Estado Social, na saúde, na educação, na protecção social, e agora até na segurança e na protecção civil. As esquerdas do PS, pela primeira vez deslumbradas com a possibilidade da ida ao pote, resultante do suporte do governo, consentiram e alinharam nesta deriva neoliberal de Costa, legitimando a sua escolha com a necessidade de fazer frente às políticas da direita. Bela escolha esta de combater a direita com as políticas da direita. É a derrota em toda a frente destes novos neoliberais de esquerda. Sigam o exemplo do PS Francês, comecem a pensar em mudar o nome aos partidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário