sexta-feira, dezembro 29, 2017

Partidos De Riso

"A lei de financiamento partidário é uma comédia grotesca? Sem dúvida. Mas mais grotesca foi a reacção dos partidos quando apanhados em pleno acto. No primeiro momento – ‘Querida, isto não é o que estás a pensar’ – tentou-se enganar os otários: a lei não representa mais despesa para o Estado (apesar do roubo de nove milhões em IVA) e foi obtida por ‘consenso alargado’ (na quadrilha couberam todos, excepto CDS e PAN). No segundo momento – ‘Ela não significa nada para mim’ – desvalorizou-se a amante. Para o PCP, a lei é ‘antidemocrática’. E o Bloco confessa que só dormiu com ela para não ficar à porta do quarto. No terceiro momento – ‘Vamos ultrapassar isto juntos’ – o adúltero está disposto a ‘melhorar’ a relação. O Bloco, mais uma vez, é o penitente exemplar. Após tanto rir, e esperando veto presidencial, só tenho duas palavras para os nossos comediantes: muito obrigado."
 

Sem comentários:

Enviar um comentário